quinta, 24 de maio de 2018
Turismo
Compartilhar:

Sem medo da “crise”, Festival Gastronômico do Conde dobra número de participantes

Edson Verber / 14 de Abril de 2016
Foto: Divulgação
Sem medo da “crise” os organizadores da 3ª edição do Festival Gastronômico ‘Sabores e Saberes no Conde’, Litoral Sul da Paraíba, quase dobraram o número de participantes em 2016 e querem aumentar fluxo turístico em 60%, este ano - no período de realização entre os dias 21 de abril e oito de maio - superando os 30% de 2015. O evento contribui para manter em funcionamento os 40 hotéis e pousadas da área, que possuem quase 4 mil leitos e  garantem mais de mil empregos diretos.

O lançamento do evento ocorreu, anteontem à noite, nas dependências do Hotel Nord, localizado na praia de Tabatinga, na presença da representante do governador do Estado, Márcia Lucena; da diretora presidente da PBTur, Ruth Avelino; do presidente da Associação Comercial, Industrial do Conde, André Neves; Associação de Turismo, Vânia Domingues; gerente da Agência Sul do Sebrae, Cláudio Soares e do Secretário de Turismo do Conde, Alexandre Cunha; dos 21 restaurantes e Coco de Roda de Gurugi, coordenado por Ana Rodrigues, que fez apresentação.

A presidente da PBTur, destacou que o evento ocorre em plena baixa estação, quando a freqüência nos hotéis é menor. “Desta forma o Festival, agora na sua terceira edição, se reveste de uma importância cada vez maior, porque, com certeza, contribuirá para atrair mais turistas que, ao conhecer a cultura local e, principalmente, a gastronomia, voltarão outras vezes” – completou Ruth.

Efeito dólar

Um dos responsáveis pela criação do Festival, que conta com restaurantes e hotéis localizados nas praias de Coqueirinho, Carapibus, Tabatinga e Jacumã, o presidente da ACIC, André Neves, destacou as parcerias que viabilizam o evento, com o Governo do Estado, por meio da PBTur, na divulgação; Prefeitura do Conde, Sebrae-PB, iniciativa privada, entre outros.

“Agradecemos a todos os parceiros que, mesmo com tanta falação sobre crise, levantaram a cabeça e, juntos, estamos passando ao largo da crise, uma vez que desde a segunda edição, estamos crescendo. Em 2015 aumentamos o fluxo turístico em 30% e, este ano, poderemos chegar a aumentar em 60%, pois muita gente do Nordeste, que iria para o exterior, está ficando na Região, face o efeito do dólar” – disse André Neves.

Relacionadas