quarta, 12 de dezembro de 2018
Economia
Compartilhar:

O básico feijão com arroz vira artigo de luxo

Érico Fabres / 29 de junho de 2016
Foto: Divulgação

Depois de o feijão ter aumentado excessivamente nos últimos meses, agora a bola da vez do arroz. Segundo a Associação Brasileira de Supermercados, de janeiro a abril deste ano, o preço do produto aumentou 12,42% para o consumidor, três vezes a inflação dos quatro meses. É como se o Rei Midas, personagem da mitologia grega, tivesse tocado no mais tradicional prato do brasileiro transformando-o em ouro.



Mas não é tão ‘simples’. Já no início do ano, a dupla de produtos havia sido reajustada em 20%, de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Com o excesso de chuvas, principalmente no Rio Grande do Sul, que detém 70% da produção do arroz, o plantio registrou perdas e atrasos, o que fez com que se recorresse a um aumento na importação, com dólar na faixa dos R$ 3,30 (ontem), com isso, quem paga, como sempre, é o consumidor.

Em João Pessoa, de acordo com o Instituto de Desenvolvimento Municipal e Estadual (Ideme), o arroz teve alta de 5,61% em maio, o que representaria mais de nove vezes o percentual da inflação do mês, que fechou em 0,61%.

As capitais recordistas de aumento foram Boa Vista, Manaus e Vitória. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) afirmou que os custos da produção do arroz no Brasil subiram, com a alta das tarifas de energia e do custo da mão de obra.

Relacionadas