quinta, 18 de outubro de 2018
Economia
Compartilhar:

Filas e reclamações: greve dos bancários provoca transtornos para servidores

Edson Verber / 30 de setembro de 2016
Foto: Nalva Figueiredo
O pagamento dos aposentados e pensionistas do Estado e da Prefeitura de João Pessoa ocorreu, nessa quinta-feira, no 24º dia da greve dos bancários, com filas e muita reclamação em parte das agências do Banco do Brasil, em face da demora para ter acesso aos caixas executivos, onde muitos tiveram de receber devido à perda e vencimento dos cartões e renovação das senhas.

Diante de uma demora de mais de uma hora para ter acesso aos caixas executivos na Agência do Banco do Brasil da Praça 1817, Centro, João Pessoa, o clima era de revolta, por volta das 11h30.

Já a dona de casa Rosângela Silva, disse que saiu de casa cedo em companhia da mãe, aposentada, de 68 anos. “Fomos para a agência da Epitácio Pessoa. Lá disseram que só resolvia aqui. Cheguei já faz mais de uma hora e minha mãe já não aguenta esperar, pois não tem nem onde sentar”, queixa-se.

A pensionista Cenira Ferreira Lopes disse que estava muito chateada. “Perdi meu cartão e tenho que ir na boca do caixa pra receber minha pensão. A vontade que dá é de desistir porque já estou esperando mais de uma hora, mas não posso pois tenho compromisso a pagar”.

Depósitos. Os depósitos somente foram viabilizados em parte das agências. “Hoje (ontem), a prioridade foi para viabilizar o pagamento dos aposentados e pensionistas que estão sem os cartões ou sem as senhas e têm de ir para a boca do caixa. Mesmo assim ainda foi possível liberar, em parte, os depósitos”, disse o secretário geral do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Jurandir Pereira.

A Assessoria do Gabinete do Procurador Regional do Trabalho da 13ª Região, informou que o prazo de cinco dias dado ao Sindicato dos Bancários para regularizar parte dos serviços e, principalmente, a opção “depósitos”, sob pena de pagar multa diária de R$ 10 mil, termina na terça-feira, dia 4.

“Sempre cumprimos com o acordo feito com a Procuradoria, desde 2010, mas o mesmo, hoje, se encontra obsoleto, face decisão recente do desembargador Paulo Maia Filho deferindo nosso pedido de liminar e anulando decisão do juiz da 8ª Vara do Trabalho de João Pessoa determinando que fosse garantido, de imediato, o efetivo de no mínimo 30%”, disse o secretário geral do Sindicato.

Relacionadas