quarta, 26 de setembro de 2018
Economia
Compartilhar:

Arroz e feijão puxam aumento da inflação

Érico Fabres / 22 de julho de 2016
Foto: Divulgação
O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) variou 0,54% em julho, mais do que em junho, quando a taxa ficou em 0,40%. Com este resultado, o acumulado no ano está em 5,19%, bem abaixo dos 6,90% registrados em igual período do ano anterior. Considerando os últimos 12 meses, o índice ficou em 8,93%, próximo dos 8,98% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em julho de 2015, a taxa havia sido 0,59%. O segmento de alimentos, liderado pela antiga dupla popular arroz e feijão puxaram o aumento na inflação.

Os preços dos alimentos aumentaram 1,45% e foram os responsáveis pela alta do índice de junho para julho. Com 69% de participação na inflação do mês, o grupo Alimentação e Bebidas registrou a mais elevada variação para os meses de julho desde 2008, quando chegou a 1,75%. O feijão-carioca, cujos preços subiram, em média, 58,06%. Os demais tipos de feijão também apresentaram aumentos significativos nos preços. O mulatinho passou a custar, em média, 45,94% a mais, enquanto o preto ficou 34,23% mais caro e o fradinho subiu 11,78%.

Mas, ainda que o feijão se destaque pela alta expressiva, vários outros alimentos ficaram bem mais caros de um mês para o outro. O arroz, por exemplo, teve seus preços elevados em 3,36% na média. Com isto, o feijão com arroz, prato típico da mesa do brasileiro, passou a custar bem mais. Em contraposição à alta do grupo Alimentação e Bebidas (1,45%), a maioria dos demais grupos de produtos e serviços pesquisados evidenciou desaceleração na taxa de crescimento de junho para julho.

Relacionadas