domingo, 20 de maio de 2018
Teatro
Compartilhar:

Festival de monólogos com mulheres acontece neste sábado em JP

André Luiz Maia / 18 de Maio de 2018
Foto: Divulgação
A Paraíba presencia o florescimento de diversas iniciativas femininas no teatro. Diante disso, a produtora cultural Fabíola Ataíde decidiu promover o I Festival de Monólogos Femininos, que começa neste sábado (19) em João Pessoa no Teatro Lima Penante e vai até o dia 24 deste mês. A realização é do Núcleo de Teatro Universitário (NTU) da UFPB.

A ideia inicial se deu em março, devido às comemorações do Dia Internacional da Mulher. “A gente convidou as atrizes do cenário paraibano, fizemos rodas de conversas e diálogos e cada um contou a sua história do teatro. Foi uma boa oportunidade de entender não só o lado profissional, mas o lado humano de cada uma delas. A partir disso, surgiu a ideia de fazer um festival com temática feminina”, explicou Fabíola Ataíde.

As inscrições para o festival foram abertas para o Brasil inteiro e o edital permitia também a inclusão de mulheres trans. “Nós estamos atentos à questão da representatividade e achamos importante que o festival seja aberto para todas as mulheres”, completa a produtora cultural.

A ideia inicial era que o festival começasse na segunda, mas, devido à demanda, a programação foi estendida, incluindo o sábado (19) e o domingo (20).

Atrizes homenageadas

As grandes homenageadas da noite são as atrizes Mônica Macedo e Zezita Matos. Os espetáculos apresentados às 19h, na área externa do Lima Penante, concorrem a um troféu que leva o nome de Mônica. Já as peças que passam pelo palco do teatro disputam o Troféu Zezita Matos.

Mônica Macedo participa de produções teatrais há bastante tempo e há mais de 30 anos integra a equipe do Núcleo de Teatro Universitário, contribuindo para a cena local. Zezita Matos apresenta uma trajetória ainda longa em cima dos palcos. Em 2018, ela completa 60 anos de serviços prestados à encenação, "uma operária da arte", como a própria gosta de se intitular.

"A ideia é que o Festival de Monólogos Femininos seja um primeiro passo para a criação de outro festival, maior, no segundo semestre, com a produção feminina como protagonista", completa Fabíola Ataíde.

Relacionadas