Acesso

Show
Compartilhar:

No Dia do Rock, artistas e fãs contam os seus discos preferidos

Renato Félix / 13 de julho de 2015
Foto: Arquivo
A pergunta foi simples e direta: quais sáo seus cinco discos internacionais de rock preferidos e quais seus cinco de rock nacional preferidos? Quer dizer: direta, mas não simples. Vários dos convidados do CORREIO a responder a enquete que lembra o Dia do Rock, amanhã, reclamou da quantidade reduzida da lista e da dificuldade de escolha.

Compreensível. O rock é um universo muito amplo, que acolhe tendências às vezes muito conflitantes. Várias delas estão nas listas que você confere no quadro nessa página. Não exigimos nenhuma ordem nas listas (elas estão colocadas na ordem recebida do entrevistado) e nem mesmo ousou definir o que é rock. Cada entrevistado teve seu próprio critério e visão do gênero.

Como costuma acontecer nesse tipo de lista, os Beatles dominaram e em várias modalidades. Teve o disco internacional mais votado (Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band foi lembrado sete vezes, contra seis do Nevermind, do Nirvana). Foi a banda mais lembrada, se somarmos todos os discos: apareceu nas listas de 13 dos 18 entrevistados (além de Sgt. Pepper’s, o álbum Revolver foi citado três vezes; o Abbey Road, duas; e o “álbum branco”, uma). Nirvana e Pink Floyd ficaram longe, com seis. Os Beatles também são o artista internacional com mais discos diferentes nas listas: quatro.

Entre os discos nacionais, Cabeça Dinossauro, dos Titãs, foi o mais citado: sete vezes. Os Mutantes, disco de 1968, e o Dois, do Legião Urbana, aparecem em cinco listas.

Os Titãs também foram a banda mais citada: 11 vezes. Além do Cabeça Dinossauro, aparecem os discos Õ Blésq Blom (duas vezes), Titãs e Go Back (uma vez cada). Quem mais chegou perto foram Os Mutantes, citados nove vezes. Além do disco de 1968, foram lembrados Mutantes (de 1969 e sem o “Os”, não confundir) e A Divina Comédia Humana ou Ando Meio Desligado, lembrados duas vezes cada.

Curiosamente, se a contabilidade dos Mutantes fosse somada à carreira posterior de Rita Lee, ela passaria á frente. Rita, sem os Mutantes, foi citada quatro vezes: duas com o disco Fruto Proibido, ao lado da banda Tutti-Frutti, e duas com o disco de 1979, chamado apenas Rita Lee e conhecido também como Mania de Você.

O resultado não tem qualquer base científica para decidir qual o “melhor disco de rock”. A pergunta nem foi essa e houve quem apenas citasse o que estava ouvindo mais por essa época. O que fica são sugestões do que conhecer nesse universo às vezes leve, às vezes pesado, às vezes festeiro, às vezes deprê do rock. As citações vão de Chico Science a Amy Winehouse, de Jimi Hendrix a Blondie, de Raul Seixas a Zé Ramalho.

Aproveite e faça a sua lista. Eu fiz a minha, está aí do lado, junto com a dos nossos convidados.

Relacionadas