quarta, 21 de fevereiro de 2018
Show
Compartilhar:

Gracinha Teles, Sandra Belê, Nathalia Bellar e Grazi Vilanueva no show ‘Mulheres’

André Luiz Maia / 02 de agosto de 2016
Foto: Divulgação
Mulheres que decidem seus próprios destinos e que constroem a própria carreira musical, sempre com uma carga autoral de peso. É de olho nelas que a cantora e  compositora Gracinha Teles  está quando monta o show Mulheres, que terá sua décima segunda edição na próxima sexta-feira, como parte da programação da Festa das Neves, que comemora os 431 anos de fundação da cidade de João Pessoa.

No palco do Ponto de Cem Réis, no Centro da cidade, Gracinha recebe as cantoras Sandra Belê, Grazi Vilanueva e Nathalia Bellar. O projeto existe há mais de 15 anos e já recebeu nomes como Renata Arruda, Soraia Bandeira, Cátia de França, Glaucia Lima, Mira Maya, Anay Claro, Mônica Melo e Patrícia Moreira. “É uma forma de congregar esses talentos, essas mulheres que sabem o que estão fazendo. Eu primo muito pelo trabalho autoral e senti a necessidade de reunir cantoras de nível e mostrar isso ao público”, declara Gracinha Teles, idealizadora do projeto.

Seu estilo musical, que passeia pelo blues e pelo funk dos anos 1970, faz um diálogo com os das suas convidadas, que transitam por outras áreas. A performance será intercalada, costurada pela presença de Gracinha, que cede espaço para que cada uma apresente seus próprios trabalhos.

Grazi Vilanueva está iniciando sua carreira solo. Natural de Mato Grosso do Sul e neta de um argentino, viveu parte da infância e adolescência no Amapá, até vir para João Pessoa. “Comecei no sertanejo, formando uma dupla com meu irmão quando crianças, que tocava em bailes e carnavais. Daí, foi surgindo o gosto pela arte e eu não queria fazer outra coisa da vida”, relembra.

Já em terras paraibanas, entrou para a banda de axé Boka Loka, um trabalho diferente do que estava fazendo habitualmente, mas soube se adaptar. “Fui mesclando o repertório de axé com o que eu já cantava em banda baile”, conta.

Agora, depois de se casar com o tecladista do grupo e ter três filhos, ela sente que está mais confiante em se lançar na carreira solo. Além de duas canções conhecidas na voz de Gal Costa, ela também traz uma canção autoral. “Estou nessa procura por uma identidade musical para formatar um CD futuramente”.

Nathalia faz cinco canções, uma delas em dueto com Gracinha, e fez questão de ser uma composição da colega: “Sou meu vício”. “Preparei para o momento solo canções muito fortes pra mim, como ‘Reconvexo’ e ‘Oração ao tempo’, de Caetano, e ‘Comer na mão’, de Chico César. Além dessas, vou cantar uma música minha. Chama-se ‘Estranho mundo’ e será lançada agora em agosto como single na web”, pontua. Já Sandra Belê canta “Leão do Norte” em parceria com Gracinha, ‘A festa’, de Gonzaguinha, ‘Côco do M’, de Jacinto Silva, e uma de autoria própria, ‘Moreno’.

Apesar das sonoridades distintas, as quatro carregam algo em comum. Ao buscarem apresentar suas próprias canções ou repertório inédito, assumem riscos. Gracinha observa que há bons artistas surgindo, mas que não há respeito por parte de alguns empresários e do próprio poder público. “Um bom equipamento de som, o palco, um bom camarim. É importante tudo isso, são os artistas da terra que estão se apresentando ali. É preciso ter um mínimo de tratamento para estimular o crescimento dessa cena local”, aponta Teles.

Apesar disso, Nathalia e Sandra observam que há uma mudança, mesmo que pequena. “As coisas estão melhorando muito nesse aspecto porque tá todo mundo fervendo pra mostrar sua cara. E os espaços estão mais abertos ao trabalho autoral. Ainda é difícil levar o público. Por isso a gente acaba optando por abrir os caminhos com um tributo ou show cover, com o objetivo de capturar a atenção dessas pessoas para os artistas daqui”, explica Bellar.

“A cena autoral independente está mais fortalecida, pois estamos nos juntando mais, botando a cara e não esperando mais recursos de dinheiro público. Tentamos pelos nossos meios. Só lamento ainda não ser possível viver com repertório autoral”, completa Belê.

Relacionadas