segunda, 16 de julho de 2018
Música
Compartilhar:

Alice Caymmi lança seu terceiro disco apostando no gênero popular

Kubitschek Pinheiro / 16 de fevereiro de 2018
Foto: Divulgação
Alice Caymmi está lançando seu terceiro disco de estúdio: Alice - já nas plataformas digitais e dia 23 nas lojas físicas. O disco tem participações de Pabllo Vittar e Rincon Sapiência e produção primorosa da cantora Barbara Ohana. É a nova Alice, sem dúvida.

“Com certeza. Eu estou olhando para o futuro e evoluindo. A nova Alice é assim, cantando novas canções, com um som diferenciado, porque eu não paro”, avisou em entrevista ao CORREIO, pelo telefone.

A começar pela capa em foto de Daryan Dornelles, (que assina todo ensaio para produção desse disco). A capa traz uma imagem da artista submersa e amarrada sob a técnica Shibari.

Ela explica: “Eu vinha obcecada por Shibari já fazia algum tempo, estava escolhendo uma paleta de cores claras tendo o branco como centro. Até que pensei na personagem Ofélia da peça icônica Hamlet. Misturei Ofélia com shibari e intuitivamente acrescentei um coração neon pra vibrar amor e dar uma moldura que expressasse o que eu sinto em relação a esse disco e o que eu quero passar. É uma capa absolutamente, radicalmente romântica”.

Com forte influência do pop e do rap, o batidão do disco e os barulhinhos eletrônicos chamam a atenção já na primeira faixa “Spiritual” e tudo junto forma algo novo, depois de Alice Caymmi, de 2012, e Rainha dos Raios, de 2014. “Eu já vinha fazendo isso em shows, nas minhas apresentações e tudo que está nesse disco, está bem amarrado”.

Nesse CD Alice traz à tona “What´s my name”, a bela canção de Moacyr Santos que está no disco Ouro Negro (2001). “Eu sempre cantei essa música, sempre gostei dela. O saudoso mestre Moacyr fez porque ninguém conseguia chamar seu nome nos Estados Unidos, logo que ele chegou para morar lá. Adorei gravar”, disse

Alice avança e canta “Inimigos” com o rapper Rincon Sapiência (eles assinam juntos a música). A quinta faixa busca superação com frases e rimas que unem o coletivo, tipo "o que menos se quer ter é inimigos". “Eu sabia que essa música tinha que ser um rapper. Rincon é muito bom e a letra aproxima os sentimentos”.

O disco traz a primeira parceria de Alice Caymmi com Ana Carolina: “Inocente”, cujo single foi lançado ainda em 2017. “A gente viajou para o sitio dela em Itaipava, ela queria descansar e compor. É uma balada romântica, fizemos letra e melodia juntas”.

Reunião de família possível

“Eu te avisei”, ela canta com Pablo Vittar, que conquistou seu lugar no cenário musical, super drag queen que faz sucesso com sua performance e voz aguda. “Eu gosto muito dela, veio de Uberlândia, hoje mora no Rio e ela tem um lugar assegurando nos palcos”.

Mudando de assunto, Alice Caymmi está no CD e DVD Jobim Orquestra & Convidados, de Paulo Jobim e Mário Adnet, cantando “Falando de amor” (de Jobim), numa interpretação que estica a beleza da canção. “Gostei muito de estar nesse disco, que faz parte da minha vida. As famílias Caymmi e Jobim sempre foram amigos fraternos. Meu avô adorava Jobim”, disse.

Alice está focada nas redes sociais e é ela mesma quem administra. “Eu uso bastante, divulgo meu trabalho com inteligência”. Em março a turnê de Alice vai começar por Rio e São Paulo e depois por aí. E a novidade é que há possibilidade dela gravar um disco com o pai Danilo Caymmi ou com a tia Nana e o tio Dori.

Relacionadas