quinta, 21 de junho de 2018
Cultura
Compartilhar:

Conheça alguns artistas paraibanos que produzem pensando no público infantil

André Luiz Maia / 11 de outubro de 2017
Foto: Divulgação
Ser criança é estar em dúvida o tempo inteiro. Descobrindo como o mundo que nos cerca funciona, crescemos em busca de respostas, seja de nossos pais, seja da escola. Mas o entretenimento também é peça fundamental para nos colocar em contato com outras realidades.

Quem cresceu nas décadas de 1980 e 1990 sabe que desenhos, livros, músicas e programas de TV colaboraram diretamente na formação dos adultos de hoje. No entanto, nem todas essas produções eram voltadas exatamente para o público infantil. Com a preocupação de criar algo mais adequado para a faixa etária, vemos projetos diversos sendo feitos com mais cuidado. Aqui na Paraíba, não é diferente.

A cantora Erica Maria tem repertório e shows voltados para o público adulto, mas depois de ter seu primeiro filho passou a produzir material infantil. Junto com Dany Danielle, do Contação da Rua, e o poeta Jairo Cézar, criou o projeto Borboletês, voltado para canções de ninar.

Ela acredita que da época em que era criança para cá, muita coisa mudou. "Em outra época, víamos crianças vendo a sexualização com naturalidade. As músicas e trabalhos artisticos voltados para as crianças, de boa qualidade, sempre existiram, mas o que mudou foi a busca por trabalhos realmente direcionados às crianças", comenta.

Na Paraíba, dá para encontrar vários tipos de produção. Escritores como o próprio Jairo Cézar e André Ricardo Aguiar têm trabalhos voltados para crianças. A banda Meu Quintal, liderada por Nara Limeira e Naldinho Braga, já têm dois discos com canções infantis. "Quando a gente fala para as crianças, quem está falando é nossa criança, por isso este é um trabalho mágico exatamente porque nos devolve à infância", comenta Nara.

A contação de histórias é outro tipo de atividade que ganha força, a exemplo da Contação de Rua, de Dany Danielle, e o Castelo de Histórias, organizado por um coletivo de atores no bairro Castelo Branco.

"Acredito que não só aqui, mas no cenário nacional a produção para o público infantil tem aumentado.

E isso parte das famílias, que hoje veem a necessidade de tirar as crianças do mundo tecnológico.

As crianças sempre foram e são muito receptivas à arte em geral, só precisam de quem os leve e os incentive", pontua o ator Alison Bernardes, do Castelo de Histórias, que também conta com Aline Alencar e Matheus Leonel na equipe.

Tem até mesmo a produção de tirinhas voltadas para as crianças, a Bicho Mix, criada pelo quadrinista Ricardo Jaime. "É inspirada na minha experiência com quadrinhos enquanto criança. Eles me ajudaram a gostar da leitura e contar estórias. Então criei personagens que agregassem as características das crianças para que pudessem se identificar e se divertir", explica.

Relacionadas