domingo, 18 de fevereiro de 2018
Cinema
Compartilhar:

“Rebecca, a Mulher Inesquecível” estreia hoje em João Pessoa

Renato Felix / 08 de setembro de 2016
Foto: Divulgação
Alguns diretores possuem um filme que, por um motivo ou outro, se fixam como a grande virada em suas carreiras. O de Alfred Hitchcock é Rebecca, a Mulher Inesquecível (1940), sua estreia em Hollywood após a bem-sucedida carreira em sua Inglaterra natal. Relançado nos cinemas brasileiros em cópia restaurada, este grande clássico, Oscar de  melhor filme, será exibido hoje no Cine Banguê, às 19h.

Com Rebecca, Hitchcock reiniciaria sua carreira agora nos Estados Unidos e partiria para fazer os maiores clássicos de sua carreira. O diretor havia sido contratado pelo produtor David O. Selznick, que havia acabado de lançar ...E o Vento Levou (1939).

Os dois, controladores, tiveram que lidar um com o outro. Hitch filmou de um jeito que impediu Selznick de re-editar o filme à sua vontade. Na queda de braço, prevaleceu a visão de Hitchcock, nessa adaptação do romance de Daphne du Maurier (Hitch voltava à escritora que ele já havia adaptado no ano anterior, em A Estalagem Maldita).

A Rebecca do título é a dona anterior da mansão onde vai morar a moça simples e tímida vivida por Joan Fontaine, agora nova Sra. de Winter, nova esposa do viúvo Maxim (Laurence Olivier). Ela é atormentada pela presença opressiva da memória da morta, principalmente na figura da soturna governanta, a Sra. Danvers (Judith Anderson). Já no marido fica a dúvida: ele a ama, ou ainda ama doentiamente Rebecca? Mexer nesse passado é mexer com o perigo.

Joan Fontaine, irmã da já estrela Olivia de Havilland, ainda era razoavelmente uma iniciante. Foi escolhida para o papel para desagrado de Laurence Olivier – o astro inglês queria sua esposa Vivien Leigh. Olivier passou a tratar mal a jovem atriz e Hitchcock capitalizou isso: disse a ela que todos na equipe a odiavam, levando-a a uma fragilidade que a câmera captou.

A sessão de hoje será seguida pela sessão de autógrafos do livro Cinema Noir - A Sombra como Experiência Estética e Narrativa, de Bertrand Lira (Editora da UFPB, 2015). Lira analisa a estética e os temas de cinco filmes do subgênero hollywoodiano que marcou os anos 1940 e 1950.

“Rebecca, a mulher inesquecível”

Rebecca. Estados Unidos, 1940

Direção: Alfred Hitchcock. Elenco: Joan Fontaine, Laurence Olivier, Judith Anderson, George Sanders, Gladys Cooper.

Re-estreia hoje em João Pessoa

 

Relacionadas