quinta, 14 de dezembro de 2017
Cinema
Compartilhar:

Cine Espaço e Grão de Cinema promovem sessão de filmes paraibanos

Assessoria / 24 de agosto de 2015
Foto: Divulgação
A Grão de Cinema em parceria com a Rede Cine Espaço e com os agentes de produção do audiovisual paraibano promove a exibição especial de lançamento de filmes paraibanos nesta segunda-feira, dia 24 de agosto.

A premiére vai acontecer na sede local da Rede, no Mag Shopping.

Serão exibidos três filmes de curta-metragem produzidos na Paraíba e por realizadores paraibanos: O Terceiro Prato, de Pablo Maia, Muído, de Torquato Joel e Claustro, de Tiago Penna.

Os filmes

O Terceiro Prato

A relação conjugal cotidiana de um casal vivido por Daniel Porpino, como Luís, e Raquel Ferreira como Júlia correspondendo as angústias de pessoas comuns - uma relação entre três pessoas que se vêem inseridas em um conflito amoroso. A história narra a vida de um casal em um relacionamento estável que se depara em um conflito - a mulher vive um relacionamento paralelo. Pauta a guerra interna de sentimentos vivenciado por um casal que se veem em um triângulo amoroso onde transporta o expectador a uma carga de sentimentos vivenciado pelo protagonista.  De estilo universal ao apostar no conflito amoroso. Por outro lado o curta acompanha e explora uma João Pessoa que passa tanto pela calçadinha de Tambaú quanto pelo Centro Histórico. Neste cenário se misturam sonhos remoídos e sentimentos de traição expressos não apenas pelas palavras mas sim por gestos, olhares e pensamentos.

O diretor Pablo Maia realizou uma produção independente em conjunto com a produtora Extrato de Cinema e destaca o desejo de ver o filme ganhar novos públicos e projeção através de festivais por todo o Brasil.

Muído

O filme versa sobre a assimétrica relação do ser humano em sociedade. Em forma alegórica/simbólica da linguagem do cinema, narrativa um tanto quanto relegada pela cinematografia brasileira atual, o tema é tratado pelo diretor como em uma de suas obras inicias, O Verme na Alma (35mm, preto e branco, 4’, 1998), em que o elenco atua através de movimentos, gestos e expressões faciais para expressar os matizes dos estratos sociais humanos. Moído radiografa o universo particular de cada camada social com seus sonhos e anseios de ascensão.

Em sua utopia, o filme se propõe um manifesto de inconformidade com o estado das coisas na luta entre classes, ao relevar o conflito de forma implícita, e às vezes explicita, que poderá resvalar em um fim extremado.

Claustro

Quanto tempo você aguentaria ficar confinado num mesmo espaço, sem sair, ver ou conversar pessoalmente com alguém?

O filme Claustro, projeto experimental do filósofo, professor universitário e cineasta Thiago Penna, parte dessa premissa. Filmado de forma independente, o curta-metragem propõe refletir sobre como um ambiente fechado e seus elementos dialogam com subjetividade de uma pessoa, como ela vê, sente e absorve as mensagens rotineiras que um lugar transmite.

Dividido em três atos -  I Contemplação, II Fluxo Dialético e III Caos Apoteótico - e permeado de citações filosóficas e literárias, Claustro nos possibilita um mergulho nas ambiências cotidianas: abrir e fechar a porta, a luz que reflete, o som da torneira, a visual das cores refletidas nos objetos. Uma experiência existencialista e sensorial conduzida pela imagem, pelos sons, pela presença de vida que incide num espaço.

O minimalismo na construção do filme reflete a singularidade do argumento, onde um apartamento é a principal personagem. A proposta, segundo diretor Tiago Penna, é realizar a ”adaptação da filosofia para o cinema através da poesia".

Claustro teve seu pré-lançamento no dia 13 de agosto, numa exibição especial para convidados. Agora será exibido numa sessão ampliada, aberta ao público.

Sobre os diretores dos filmes

Pablo Maia - O Terceiro Prato

Nascido e criado em João Pessoa, Pablo Maia iniciou suas atividades na comunicação ainda no Ensino Médio, quando atuou como radialista. Graduando-se em Comunicação social, teve uma passagem rápida pela televisão até descobrir o cinema, depois de anos de roteiros de produções lança seu primeiro filme de romance, o terceiro da sua trajetória audiovisual.

A Sessão

A sessão de lançamento dos filmes é gratuita e aberta ao público. Terá início às 21hs.

Relacionadas