domingo, 27 de maio de 2018
Cultura
Compartilhar:

Ator e cordelista, o paraibano Rafael de Carvalho faria 100 anos hoje

André Luiz Maia / 06 de Fevereiro de 2018
Foto: DIVULGAÇÃO
Hoje, caso estivesse vivo, o artista Rafael de Carvalho completaria 100 anos. Conhecido por participar de clássicos do cinema e da TV brasileira (confira o quadro ao lado), ele também se aventurou pela música, pelo teatro e pela cultura popular. O que pouca gente sabia é que Rafael é paraibano.

Nascido em 6 de fevereiro de 1918, no Sítio Pedra Tapada, em Caiçara, na Paraíba, se mudou no fim da adolescência para estudar em Pernambuco. A partir daí, ganhou o mundo. Em sua cidade natal, uma iniciativa do Grupo Atitude, comandado por Jocelino Tomaz, se empenha em resgatar sua memória e registros de seus trabalhos em diferentes plataformas.

Desde criança, Rafael se identificava com a cultura popular, especialmente com os emboladores, os folhetos de cordel e manifestações folclóricas como o Bumba-meu-boi. Já na Bahia, começou a produzir cordeis de sua autoria. Não demorou para conquistar o prêmio maior de poesia da Academia de Letras da Bahia, com um poema em homenagem ao centenário do nascimento de Castro Alves. Em 1947, foi para o Rio de Janeiro.

Atuou na TV, no cinema, no teatro, compôs, cantou, fez repente, escreveu livros, cordéis, além de uma militância em defesa da cultura popular e dos ideais socialistas.

O Grupo Atitude, uma ONG de Caiçara, trabalha no resgate de memória de Rafael de Carvalho. Está programado para o dia 23 de fevereiro um tributo ao artista, com o lançamento da 2ª edição do cordel Rafael de Carvalho, o Multiartista Caiçarense, de Bartolomeu Xavier, a exibição do documentário Rafael de Carvalho, um Multiartista Sonhador, de Layse Julyanne; e haverá sarau com membros da Academia de Cordel do Vale do Paraíba e do embolador Geraldo Mouzinho.

Relacionadas