sexta, 22 de junho de 2018

Sony Lacerda
Compartilhar:

“Vai ter que matar”. Oi???

17 de janeiro de 2018
Quando a ideologia se transforma em obsessão e execede os limites inimagináveis. A senadora Gleisi Hofman, presidente nacional do PT, está cumprindo seu papel ao defender o partido e sua principal estrela: o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva. Mas, como tal, precisa medir as palavras para que essas mesmas não sejam transformadas em bandeiras, não para o PT, mas para a oposição.

Em declaração a um site nacional, afirmou: “Para prender o Lula, vai ter que prender muita gente, mas, mais do que isso, vai ter que matar gente. Aí, vai ter que matar”. Não venha me dizer que a frase é uma ‘força de expressão’, ainda mais com o julgamento de Lula no TRF4 batendo à porta. É quase uma incitação. A senadora usou sua conta pessoal no Twitter para justificar o que disse: “... usei uma força de expressão para dizer o quanto Lula é amado pelo povo brasileiro. É o maior líder popular do país e está sendo vítima de injustiças e violências que atingem quem o admira. Como não se revoltar com condenação sem provas? Política e injusta”.

Que Lula é o maior líder popular do País, eu nem discuto, mas há controvérsias. Se as acusações são verdadeiras, eu não duvido é de nada. Doido é quem coloca a mão no fogo por político, após capítulos e mais capítulos de uma corrupção que não tem mais fim, e nesse caso eu incluo a própria Gleisi Hofman nessa conta. O que sei é: é preciso ter um fim. Se há parcialidade ou não, a Justiça está aí. Mas, já chega de pirotecnia.

Onofre em Junco do Seridó

É considerado santo pelas igrejas Católica e Ortodoxa. Teria nascido na Etiópia, vivido no Egito e morrido na Síria. No entanto, é cultuado em Junco do Seridó, no interior da Paraíba. Semana passada, os devotos de Santo Onofre se reuniram numa festa em Junco para celebrá-lo.

Nem Santo Antônio

Nos últimos tempos, nem Santo Antônio, com toda sua fama, conseguiu reunir tantos deputados numa festa sua em Piancó. Pois bem, Onofre reuniu Antônio Mineral, Buba Germano, Genival Matias e Inácio Falcão.

Penosa

Cada deputado estava numa mesa, agarrado a uma liderança política de Junco. A quermesse rolava quando chegou a hora do leilão da penosa.

Leilão

Quem dá mais? Gritava o leiloeiro. Alguém disse R$ 100. Outra pessoa cobriu a oferta e ofereceu R$ 150. E assim seguiu o leilão até que o vice-prefeito de Junco do Seridó, Rawlisson Menezes, gritou: R$ 600,00.

Mineral levou

O deputado Antônio Mineral, que estava numa mesa com o prefeito Kleber Fernandes, deu um lance que ninguém teve coragem de cobrir: R$ 800.

Sorriso infantojuvenil

João Pessoa ganhou ontem o Núcleo de Apadrinhamento Sorriso Infantojuvenil da 1ª Vara da Infância e Juventude do TJPB, no Fórum da Infância e Juventude da Capital, no Bairro dos Estados, onde foram formalizados os primeiros apadrinhamentos de crianças e adolescentes que se encontram em instituições de acolhimento.

Profundo pesar

A Mesa da Câmara de João Pessoa externou profundo pesar pela morte da professora e carnavalesca Socorro Mendes, conhecida como Corrinha, que integrava o Bloco Cafuçu.

Contra o câncer

Corrinha morreu semana passada por complicações provocadas por um câncer. Ela lutava contra a doença desde o mês de setembro do ano passado.

Desde 1947

Em alusão aos 70 anos da Câmara, celebrados ano passado, o futuro presidente João Corujinha destaca que a atual legislatura continua às ações positivas da história que vem de 1947.

História

“A atuação dos vereadores pessoenses tem marcado de maneira positiva a história do Poder Legislativo”, garante João Corujinha.

Colaboração de Adelson Barbosa dos Santos

Relacionadas