terça, 12 de dezembro de 2017

Edinho Magalhães
Compartilhar:

Temer e a bancada da PB

29 de outubro de 2017
A bancada federal paraibana na Câmara dos Deputados votou com coerência. Não houve surpresa nessa segunda votação, relativa à primeira, sobre a denúncia contra o presidente Temer. Damião Feliciano, Pedro Cunha Lima, Veneziano Vital, Luiz Couto e Wellington Roberto continuaram votando a favor das investigações. O deputado Wilson Filho dessa vez apareceu em plenário e votou a favor do presidente, fechando o placar em 6 x 5, pró Temer.

Dos cinco votos contrários, porém, um deles chamou mais atenção. Foi o do deputado Wellington Roberto que agiu diferente dos outros quatro. Seu partido é da base aliada, enquanto os de Damião e Luiz Couto são da oposição. A liderança do PR orientou voto a favor do presidente, enquanto a do PSDB de Pedro liberou a bancada. E na hora do voto, Wellington abriu fogo contra o Governo, enquanto Veneziano, apesar de ser da base (e também estar votando contra a orientação de seu partido) se limitou apenas a declarar o voto “contra o relatório”. Wellignton vociferou que “o Governo praticava retaliações e que agia contra os Prefeitos do Brasil e da Paraíba”. Indagado que retaliações seriam essas, ele negou que fossem contra ele – cargos ou emendas – mas “contra os prefeitos que estão de pires na mão porque o Governo Federal não faz os devidos repasses do FPM aos municípios”. Em entrevista à TV CORREIO ele foi mais além: “estive com parte da bancada federal reunido no TCE, semana passada, com mais de cem prefeitos e a reclamação com o Governo foi geral que, a despeito de ter um líder na Câmara da Paraíba, virou as costas para os prefeitos paraibanos”.

A solução para a crise dos municípios, segundo Wellington, seria uma mudança no ‘pacto federativo’ ampliando a fatia dos recursos do Tesouro Nacional para as prefeituras, e isso só seria possível com a votação da reforma tributária. Porém, de acordo com Wellington, o Governo não quer: “O Planalto não atua para pautar a reforma no Congresso Nacional e fica protelando pra não perder receita”. Ele conclama os líderes Aguinaldo Ribeiro “que despacha todos os dias com o presidente da República” e Efraim Filho “amicíssimo do presidente da Câmara”, para que ajudem a pautar a reforma tributária desde já, antes mesmo da reforma da previdência, pois ela teria votos suficientes para ser aprovada dentro e fora da base aliada.

Então, que assim seja e que, unidos, possam votar o que for melhor para mudar o Brasil.

R$1 bi de aluguel

Pelas redes sociais o deputado Pedro Cunha Lima evidencia bem a campanha “Menos Custo, Mais Brasil”: o governo federal gasta mais de R$ 1,5 bi por ano em alugueis de imóveis. A notícia por si só já seria um escárnio com o contribuinte, mas o melhor é isso: o mesmo governo tem e mantém mais de 10 mil imóveis desocupados. Pode isso?

Ministro na PB

Rômulo Gouveia esteve em audiência esta semana com o ministro Osmar Terra, do Desenvolvimento Social, tratando de sua visita à Paraíba na próxima quarta-feira. Ele prepara inaugurações em Campina, entre elas um ‘Centro-Dia Pediátrico’, referência em Microcefalia, em parceria com a secretária Eva Gouveia e o prefeito Romero Rodrigues.

Caixa em Campina

Em épocas de crise econômica com os bancos públicos fechando agências por todo o Brasil, o senador Raimundo Lira consegue ir na contra mão desse cenário e articula a abertura de uma superintendência da Caixa Econômica para a cidade de Campina Grande.

Caixa em Campina 2

Apesar de difícil, o pleito terá muitos padrinhos já que metade da bancada federal é de Campina, incluindo o líder do Governo Aguinaldo Ribeiro.  Quando foi Ministro das Cidades o atual presidente da Caixa era seu substituto imediato.

No TCU sem JBS

Por meio de sua assessoria o ministro Vital do Rêgo informa que “diante da indevida utilização de seu nome no conteúdo de delação premiada da empresa JBS, de forma prudente e cautelar, se firma impedido no julgamento dos processos da JBS no TCU”.

Retaliação?

Pouca gente sabe, mas a matéria divulgada na edição passada da revista Veja teria sido uma retaliação contra o ministro que, em recente decisão no TCU, julgou indisponíveis os bens do empresário Fábio Barbosa, ex-presidente do grupo Abril.

Nos Ares

O deputado Aguinaldo Ribeiro embarcou para a Terra Santa em viagem com o presidente da Câmara Rodrigo Maia. Terá muitas horas para traçar planos e estratégias pessoais e do Governo.

Pauta no Senado

No mesmo dia da votação da denúncia contra Temer na Câmara, o senador Cássio recebia comitiva de empresários da Paraíba, da Câmara de Dirigentes Lojistas, que denunciavam a política de arrocho tributário praticado pelo Governo do Estado, “acima da inflação”.

Pauta no Senado 2

E o senador Cássio ainda encontrou tempo para receber, em seu gabinete, o ministro da saúde, Ricardo Barros, para cobrar fornecimento continuado de remédios que tratam de doenças raras.

Relacionadas