terça, 17 de julho de 2018

Lena Guimarães
Compartilhar:

O próximo passo

20 de maio de 2018
O Progressistas é o primeiro partido que, sem candidato a governador apresentado, se preocupa em elaborar um plano de crescimento econômico e desenvolvimento social para a Paraíba, e não apenas para fundamentar o debate com os eleitores, mas para ser base para alianças que fará.

É uma novidade bem-vinda na política paraibana, que nas últimas eleições tem registrado declarações despudoradas de dirigentes partidários sobre o que esperavam em troca do apoio a determinado candidato. Quanto maior o tempo de propaganda no rádio e na TV e a estrutura que têm nos municípios, maior era o lance esperado.

O interesse pessoal (ajuda para a campanha e a fatia de participação no futuro governo), estavam se tornando tão comum que ninguém achava que precisa de um discurso novo para mostrar ao eleitor que a política pode ser feita considerando o interesse público e não apenas o carreirismo de alguns.

A deputada Daniella Ribeiro diz que o esforço do Progressistas é para iniciar um debate que ajude a encontrar soluções que levem a Paraíba para um patamar de desenvolvimento que seja avaliado como bom não apenas ao ser comparado com experiências negativas, ou de vizinhos, mas que seja destaque quando comparado com os melhores resultados registrados no Brasil.

Daniella diz que o partido reconhecerá as contribuições de todos os que já governaram o Estado – “porque o que temos hoje é resultado da visão de muitos: uns investiram em água, outros em habitações, em escolas, em eletrificação rural, e ultimamente em estradas” – para   definir qual o “próximo passo”.

Explica: esse debate indicará o que poderá fazer da Paraíba uma terra com perspectivas de realizações e prosperidade para jovens e para quem já está lutando no mercado de trabalho.

Ela cita números do IBGE, de que 50% da população paraibana já vive nos entornos de João Pessoa e Campina Grande, para enfatizar a necessidade da interiorização do desenvolvimento.

O Progressistas está anunciado para sábado, em Campina, debate que tem infraestrutura como tema, e um convidado de peso: o ministro das Cidades, Alexandre Baldy. Ao final, que ter propostas e metas claras para levar para a campanha. Com certeza, é um primeiro passo para mudar a forma de se discutir alianças na Paraíba.

Torpedo

Do deputado Jutay Meneses, defendendo fortalecimento da Defensoria, que “é essencial” principalmente para a população carente.

Hoje a Defensoria Pública tem um déficit de profissionais o que dificulta o acesso dos paraibanos mais carentes ? Justiça. É preciso mudar essa realidade com a convocação de mais profissionais aprovados no último concurso realizado.

Quem lidera?

Faltam apenas quatro meses e 18 dias para as eleições. Por que nenhum candidato ou partido registra no TRE – só assim podem ser divulgadas - as pesquisa que dizem ter e que provariam que são favoritos? Mistério!

Opção Efraim

Não foi Santa Luzia, terra dos Morais mas governada pelo MDB, e sim São Bento, do prefeito Jarques Lúcio, a cidade escolhida pelo DEM para anunciar Efraim Morais como opção para vice na chapa de João Azevedo.

Geopolítica

Efraim será o Sertão na chapa de João Azevedo, que é de João Pessoa e já tem Veneziano Vital, de Campina Grande, como candidato a Senador, e guarda a 2ª vaga para atender outras exigências da geopolítica paraibana.

Geopolítica 2

Os candidatos José Maranhão (MDB) e Lucélio Cartaxo (PV) querem vices de Campina Grande, 2° maior colégio eleitoral do Estado. O “verde” já fechou com dois candidatos a senador também de Campina.

Zigue-zague

Germano Toscano, da Comissão do Centenário do ex-governador Ivan Bichara, vai participar das homenagens que a Câmara Federal fará às 9h de quarta-feira ao paraibano.

Os donos de postos da Paraíba divulgam que do preço da gasolina, 56% são impostos. O “Impostômetro” da Associação Comercial de São Paulo já calcula que é 61,95%.

Relacionadas