sexta, 20 de julho de 2018

Lena Guimarães
Compartilhar:

Na mesma moeda

12 de dezembro de 2017
Em 17 de maio, jornais estamparam o que seria o maior golpe dado em um político no exercício da Presidência da República: o bilionário dono da JBS Joesley Batista gravou Michel Temer dando aval para compra de silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha.

Não faltou quem pedisse a renúncia do Presidente e nem quem previsse que se resistisse, cairia de qualquer forma. O clamor começou a perder força quando laudos periciais admitiram a possibilidade de edição, mas ainda assim foi custoso para o peemedebista se livrar das denúncias feitas contra ele pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Faltando cinco dias para completar sete meses do início da via crucis de Temer, que terminou há exatos 48 dias com o arquivamento da 2ª denúncia pela Câmara, pode começar a do procurador Rodrigo Janot.

O relator da CPMI da JBS, deputado Carlos Marun vai protocolar seu relatório hoje, e pretende vê-lo aprovado no máximo até quinta-feira, quando se licenciará da Câmara para assumir o cargo de ministro da Secretaria de Governo. E pelo que antecipou, Marun deve indiciar Janot.

Marun disse já ter convicção que foi ilícita a conduta de Janot na delação da JBS. Deu um exemplo: teria afirmado que as negociações com a JBS ocorreram a partir de 27 de março, quando provas mostram que 40 dias antes já existiam.

O relator insiste: “Alguém aqui acredita que foi discutida a delação da JBS cerca de 40 dias antes, dentro da Procuradoria-Geral da República, e que o Procurador-Geral não sabia disso? Então aí já está presente uma ilicitude muito grave, que pode resultar, sim, a partir daí, em um pedido de indiciamento do Janot, do Pellela, que no caso era o seu representante ou aquele que lhe traía não levando as informações”.

Que vai criar problemas para o ex-PGR e para seu ex-chefe de gabinete, Eduardo Pellela, isso vai. Mas vai sobrar munição para os irmãos Batista, que ‘armaram’ contra Temer. Defenderá revogação dos benefícios da delação, que por enquanto estão só suspensos a pedido do próprio Janot, quando foi revelado que a PF tinha gravação de Joesley admitindo suas traquinagens para se safar de denúncia de corrupção.

Ao que tudo indica, Marun vai garantir que a retribuição seja na mesma moeda.

TORPEDO

"A Paraíba não pode, em uma crise como essa, depois de conseguir investimentos que o Governo do Estado está conseguindo, perder. E eu não consigo entender como é que um grupo tem uma licença e depois essa licença é cassada sem que se diga nada."

De Ricardo Coutinho, convidando Luciano Cartaxo a explicar embargo de obra do Home Center Ferreira Costa, em reunião com ele, MP e CDL.

Improbidade

Os juízes responsáveis pelos processos que envolvem improbidade e crimes contra a administração pública divulgaram mais 46 sentenças. Entre os que tiveram direitos políticos cassados, o prefeito de Pombal, Dr. Verissinho.

Depoimento

Após ouvir as testemunhas de defesa, a Comissão Processante da Câmara de Bayeux marcou para quinta-feira o depoimento do prefeito afastado, Berg Lima. A previsão é de que o plenário decida seu destino ainda neste mês.

Proposta...

É atendendo convite da vice-governadora Lígia Feliciano que o presidenciável Ciro Gomes virá a Paraíba na próxima segunda-feira para falar sobre ‘Um novo rumo para o Brasil’ em João Pessoa e Campina Grande.

... do PDT

“É uma palestra aberta e todas as pessoas poderão ter a oportunidade de tirar dúvidas, fazer suas perguntas e saber o que pensa Ciro Gomes sobre o nosso país”, diz Lígia Feliciano, que é vice-presidente nacional do PDT.

ZIGUE-ZAGUE



  • O presidente do TSE, Gilmar Mendes advertiu Lula e Jair Bolsonaro para a possibilidade de serem cassados mais adiante por conta da pré-campanha que fazem.


  • Seu alerta: “Quem é que está financiando? E isso pode levar inclusive, depois, ao reconhecimento de abuso de poder econômico, que pode levar à própria cassação do diploma”.


Relacionadas