terça, 25 de setembro de 2018

Edinho Magalhães
Compartilhar:

Bancada pelo Turismo

18 de fevereiro de 2018
O senador Cássio Cunha Lima esteve em audiência com o presidente da Infraero, em Brasília, semana passada, cobrando agilidade na implantação do ‘Sistema Elo’ nos aeroportos de Campina e João Pessoa - mecanismo para embarque e desembarque de passageiros até a porta do avião, semelhante aos ‘corredores suspensos’ conhecidos como ‘finger’.

O pedido inicial foi realizado pela bancada federal que, há algum tempo, vem lutando por melhorias na estrutura dos aeroportos da Paraíba. De fato, a ausência do equipamento, além de caracterizar atraso (João Pessoa é uma das únicas capitais do país que não ainda não tem ‘finger’ no aeroporto) deixa um aspecto de desleixo, típico de ‘rodoviárias’, quando na verdade deveria ser o início de uma vitrine de ‘boas vindas’ aos turistas que chegam à cidade.

Sem o finger, os passageiros embarcam e desembarcam embaixo de sol e chuva e na maioria das vezes que chove, suas malas chegam molhadas. Além disso, a estrutura do finger resolve todos os problemas de acessibilidade, facilitando totalmente a vida de cadeirantes e idosos que tem dificuldade de locomoção e não conseguem subir as escadas de acesso dos aviões.

Isso, por si só, já justificaria o investimento necessário para sua instalação.

A iniciativa da bancada em Brasília, junto com a cobrança do senador Cássio, é oportuna e importante, todavia os problemas na chegada à João Pessoa não se limitam apenas à parte da Infraero no aeroporto. Poucos quilômetros da saída da ‘rodoviária’ Castro Pinto, o turista que chegar à noite, além do risco de se molhar em caso de chuva, ainda é submetido a uma escuridão ‘eclipsiana’ em trecho da BR 230 (entre o quartel do corpo de bombeiros até o acesso de Oitizeiro). Nesse sentido a bancada deve cobrar, também, um entendimento articulado entre o DNER, em Brasília (Ministério dos Transportes), o DER no Estado, as prefeituras de Bayeux e de João Pessoa e a empresa de iluminação pública para sanar o ‘trecho das trevas’.

E assim vai se consolidando o entendimento de que a bancada, unida, atua ainda mais e melhor pelos paraibanos e pela Paraíba. Que continue assim.

Pelas redes sociais



Se depender das redes sociais o senador Raimundo Lira tem tudo pra se reeleger este ano. Com o título ‘senador municipalista’ Lira colheu depoimentos de dezenas de prefeitos elogiando sua atuação, em Brasília, em favor dos paraibanos. Se tudo isso se reverter em voto, ‘tá eleito’.

Intervenção Necessária?



Na opinião do deputado Efraim Filho o Governo Federal tomou uma medida dura, mas necessária. “O que está em jogo são as vidas das pessoas, ceifadas diariamente, e a sensação de impunidade. O Sistema atual faliu e não podemos ser reféns da violência.”

E a Reforma?

Essa será a pergunta que não vai calar ao líder do Governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro. A intervenção no Rio suspende tramitação de qualquer projeto que altere a Constituição no Congresso. A reforma da previdência seria votada por PEC. E agora Aguinaldo?

Wilson Senador



Fontes da coluna indicam que o ex-senador Wilson Santiago teria sido sondado pelo governador Ricardo Coutinho para compor uma chapa para o Senado. Mas teria agradecido e declinado. Pelo jeito as indefinições sobre 2018 não pairam apenas sobre a oposição.

Wilson Consultor



Já sobre a indefinição do próprio Governador, Wilson acredita que ele ficaria mais confortável se a vice saísse junto... “mas os desdobramentos seriam imprevisíveis: o presidente da Assembléia também vai sair e se o ‘TJ’ tiver que chamar eleição indireta, ainda tem o risco do candidato do governador não levar”. Pois é, se correr o bicho pega e se ficar...

Frase



“O cidadão é quem precisa de proteção. O bandido precisa é de punição” - deputado Efraim Filho, sobre a necessidade de intervenção no Rio de janeiro.

Relacionadas