segunda, 11 de dezembro de 2017

Lena Guimarães
Compartilhar:

A proposta do PSDB

29 de novembro de 2017
É possível combinar liberalismo econômico – mais concessões e novas privatizações - e políticas sociais à esquerda, a exemplo do fortalecimento do Bolsa Família? O PSDB acha que sim. E é isso que está propondo em manifesto para atualizaçãodas diretrizes da fundação do partido que diz ter nascido “para mudar o Brasil”e que assegura que essa permanece sendo a sua“vocação”.

No documento de 26 páginas, “Gente em primeiro lugar: o Brasil que queremos”, elaborado pelo Instituto Teotônio Vilela que tem oparaibano Cícero Lucena em sua diretoria, O PSDB diz que o Brasil está em “nova encruzilhada” e que os desafios para alcançar os frutos da prosperidade são mais árduos do que os do fim do século passado.

Diz que o Estado é inapto para devolver aos cidadãos o que pagam na forma de tributos; diz que o “Brasil precisa é de mais sociedade civil, mais mercado, de um Estado que funcione e, principalmente, melhore e facilite a vida das pessoas”. E resume: “Uma nação em que todos possam sonhar, ter esperança, oportunidades e, sobretudo, realizar e progredir”.

Os tucanos não pouparam os governos do PT: “Nosso legado foi exaurido pelo populismo e pela irresponsabilidade dos governos petistas, que terminaram afundando o país na mais profunda e longa recessão da nossa história. Regredimos, empobrecemos e agora, pela primeira vez em 25 anos, o Brasil voltou a registrar a perversa combinação de queda na renda e aumento da concentração de riqueza”.

O que propõem os tucanos?Um Estado “nem máximo, nem mínimo”, corte de gastos públicos, redução de cargos e de ministérios e a reforma da Previdência. Ainda defendem a adoção do parlamentarismo e do voto distrital misto.

O PSDB também propõe sete objetivos estratégicos para o Brasil: retomada do crescimento; combate a pobreza e as desigualdades; oferecer igualdade de oportunidades para todos; eliminar privilégios consolidados por décadas; prestar serviços públicos adequados, a começar pela educação, saúde e segurança; fortalecer a federação e promover o desenvolvimento regional.

O PSDB quer se livrar dos danos que as denúncia contra o senador Aécio Neves causaram e construir uma nova imagem na mente dos eleitores. O debate e a troca de comando na convenção do dia 9 serão duas boas oportunidades.

TORPEDO

"A ideia do Empreender é muito boa, mas na prática ela não vem funcionando, pois vem sendo usado politicamente... Oferecer crédito para estimular negócios deveria ser a sua finalidade, mas o que temos é a liberação de recursos sem critérios e sem acompanhamento."

Do deputado Tovar Correia Lima (PSDB), ao se solidarizar com o TCE pelas críticas do governador Ricardo Coutinho à suspensão do programa.

Livre

O advogado Raoni Vita retornou de Brasília, ontem, com vitória para o prefeito afastado de Bayeux, Berg Lima: por 3 x 2 votos, o STJ concedeu a liberdade ao político, preso há quase cinco meses e acusado de corrupção.

O cargo

A decisão do STJ não devolve o cargo de prefeito a Berg Lima, mas o Tribunal de Justiça da Paraíba deve analisar, ainda hoje, recurso contra a decisão que determinou seu afastamento e mais uma notícia crime.

As contas

Na pauta do TCE desta quinta-feira estão as contas do governador Ricardo Coutinho referentes a 2015. O relator é ninguém menos que Fernando Catão, o conselheiro atacado por suspender o Empreender-PB.

O desafio

De Ruy Carneiro, sobre a proposta do PSDB para o Brasil: “Soubemos superar a inflação quando o Brasil nos deu essa missão. Agora, devemos mostrar que somos capazes de construir um projeto de união nacional”.

ZIGUE-ZAGUE



  • O presidente Temer vai se encontrar com o futuro presidente do PSDB, Geraldo Alckmin, sábado. Em pauta, a reforma da Previdência, o desembarque do PSDB e 2018.


  • Os tucanos querem mudar proposta de Temer no que diz respeito ao benefício por incapacidade permanente, acúmulo de pensões e as regras para servidores públicos.


Relacionadas