quarta, 26 de setembro de 2018

Lena Guimarães
Compartilhar:

A marca de Zé Aldemir

14 de janeiro de 2018
Podemos voar pelo mundo, mas nunca nos desligamos de nossas raízes. As minhas estão bem fincadas em Cajazeiras, onde nasci, aprendi a ler na escola de “Dona Carmelita”, e a valorizar nossa cultura e os princípios da felicidade com meus avôs, Leonardo e Júlia Rolim, exemplos que ainda tento copiar.

Perseguindo sonhos cheguei a João Pessoa, mas mantive o fio do coração ligado a terra natal. Acompanho seus acontecimentos com o mesmo interesse que alguns seguem novelas na TV. E o compromisso profissional de bem informar só potencializa.

Assim, fiquei feliz ao ler análise do atilado jornalista Fernando Caldeira, apontando que ao contrário de muitos municípios da Paraíba, inclusive alguns com economia mais forte, Cajazeiras vive momento de ajuste fiscal e de realizações.

Reproduzindo o meu conterrâneo, “o prefeito Zé Aldemir fechou 2017 e abriu 2018, em termos administrativos, com chave de ouro”. Ele destaca a recuperação de toda a frota de veículos do município “recebida em frangalhos”; recuperação das estradas vicinais; regularidade na coleta de lixo e uma “verdadeira revolução na saúde pública local”.

Esse último destaque não foi surpresa. E não só porque o prefeito, por formação, é médico. Mas pelo empenho demonstrado nessa área no exercício dos mandatos de deputado estadual e federal.

Conversei com Zé Aldemir para descobrir como estava conseguindo tanto, quanto outros prefeitos só choram. Vários sequer conseguiram pagar o 13° salário.

Conseguiu porque não ficou em Cajazeiras, usando as dificuldades como justificativa. Foi para Brasília, com projetos debaixo do braço.

Primeiro teve que limpar o nome da cidade junto aos órgãos federais. Depois, o prêmio: acesso a recursos para tocar obras e serviços.

Começa 2018 com um Centro de Diagnóstico por Imagens em andamento, R$ 4 milhões para recapeamento asfáltico da cidade, todos os salários pagos e com programação para o Carnaval com potencial para levar muitos ao Sertão. E acesso totalmente gratuito.

Quatro mandatos na Assembleia e um na Câmara Federal certamente ajudaram Zé Aldemir a construir relacionamentos que abrem portas, mas é sua atitude que faz a diferença. Bom para Cajazeiras.

TORPEDO

Mais forte de que alianças é o povo. (...) Quem decide é o povo, e em razão de propostas que reflitam o sentimento da população.

É do deputado Rômulo Gouveia (PSD) a frase da semana, com sua visão sobre a sucessão estadual.

Efeito...

Acusado de não cumprir várias decisões judiciais a favor de instituições e de servidores, agora é o Governo da Paraíba quem reclama que o Banco do Brasil não obedeceu a que manda emprestar R$ 150 milhões ao Estado.

... bumerangue

O Banco alega dívida não paga para negar novo crédito. O Estado não reconhece o compromisso e admite exigir execução da medida judicial, inclusive com aplicação de multa ao Banco no valor de 10% do empréstimo.

Números...

A receita resultante dos impostos estaduais (ICMS, IPVA, ITCD e Taxas), todos reajustados pelo governador Ricardo Coutinho, registrou aumento de 7,47% em 2017, bem acima da inflação, que ficou em 2,95%.

... da receita

Como as transferências federais (FPE, Fundeb, IPI-EXP e LC87/96) caíram 2,86%, foram as receitas próprias responsáveis pelo resultado final: arrecadação total de R$ 9,790 bilhões, com crescimento de 2,76%.

ZIGUE-ZAGUE

A 10 dias do julgamento do ex-presidente Lula no TRF-4, é grande a expectativa no meio político, pois é a corte que dirá se o petista será ou não elegível neste ano.

Como contraponto de Lula, Jair Bolsonaro se beneficiará com sua permanência na disputa. Sem polarização, um nome do Centro terá mais chance de crescimento.

Relacionadas