domingo, 20 de maio de 2018
Cinema
Compartilhar:

‘Todo o Dinheiro do Mundo’ estreia nessa quinta-feira nos cinemas de JP e CG

André Luiz Maia / 31 de Janeiro de 2018
Foto: Divulgação
Os brasileiros poderão conferir a partir dessa quinta-feira (1º) mais uma produção que recebeu indicação ao Oscar. Todo o Dinheiro do Mundo, novo filme de Ridley Scott, traz um rosário de escândalos e controvérsias em torno de sua produção, incluindo a rara decisão de substituir um ator importante na obra após ela ser totalmente filmada – no caso, Kevin Spacey, um dos nomes de Hollywood recentemente acusados de abuso e assédio sexual.

A história do filme se centra na figura de John Paul Getty, magnata do petróleo e considerado o homem mais rico do mundo nos anos 1960. Foi um dos primeiros a possuir uma fortuna que ultrapassasse a marca dos bilhões de dólares.

Na vida real, garantem seus contemporâneos, tratava-se de uma figura egoísta e mesquinha, quase uma caricatura de um milionário de filme. E nesta adaptação isso não passou incólume.

O grande dilema de Getty (Christopher Plummer) acontece quando seu neto de 16 anos, John Paul Getty III (Charlie Plummer, sem parentesco com Christopher), foi sequestrado para ser solto mediante pagamento de US$ 17 milhões. O patriarca convoca a imprensa para uma declaração e dispara: não pagaria resgate nenhum – se cedesse, colocaria em risco seus 14 netos e toda a sua fortuna. O anúncio, obviamente, deixa a mãe do jovem, Abigail (Michelle Williams), em pânico.

Getty manda que Fletcher Chase (Mark Wahlberg), um ex-agente da CIA que agora trabalha como seu assistente particular, acompanhe a mãe do jovem nas negociações, que se estendem por meses. Como forma de pressionar a família, os rapazes decepam uma das orelhas de Getty III e mandam pelo correio com uma mecha de cabelo ruivo. Nem assim o avô se comoveu.

Se a trama já não fosse mirabolante, os bastidores dp filme também foram bastante agitados. Quando explodiram as denúncias de abuso sexual contra Kevin Spacey, já haviam comentários de que sua atuação renderia uma indicação ao Oscar. Ainda assim, o diretor Ridley Scott decidiu substitui-lo por Christopher Plummer, refilmando em oito dias todas as 22 cenas em que o personagem aparecia, um mês antes da estreia.

Por conta disso, os atores Mark Wahlberg e Michelle Williams foram chamados para refilmagens. Depois do filme pronto, outra controvérsia: foi revelado que Wahlberg exigiu que a produção lhe pagasse US$ 1,5 milhão pelo trabalho extra. Michelle Williams recebeu cerca de mil dólares, o que corresponde a 0,067% do que recebeu o colega.

Diante da repercussão negativa, o ator resolveu doar o cachê ao fundo colaborativo do movimento Time’s Up, criado para dar suporte às vítimas de assédio na indústria do cinema.

Até mesmo a diretora Patty Jenkins acabou se envolvendo nos contratempos da produção. O roteirista de Todo o Dinheiro do Mundo, David Scarpa, revelou que foi a diretora de Mulher-Maravilha que trouxe Christopher Plummer para a missão de substituir Kevin Spacey, antes que a imprensa soubesse da decisão.

A equipe do filme solicitou que Jenkins emitisse uma chamada para a contratação de um ator idoso como se fosse para o elenco da série da TNT que ela está desenvolvendo, One Day She’ll Darken. Na verdade, era para as refilmagens.

Plummer teve trabalho difícil

Em entrevista ao TMZ, o ator Christopher Plummer comentou sobre a situação, já que o ator teve que substituir Kevin em muito pouco tempo. "Sim, foi difícil. Os teatros não te preparam para isso”, declarou.

Apesar de ser uma situação extremamente rara, não foi a primeira nem a única vez que um personagem principal teve de ser substituído após uma produção de Hollywood estar praticamente completa. Um exemplo mais antigo é o de Salomão e a Rainha de Sabá, filme de 1959.

A grande estrela da produção e um de seus produtores era Tyrone Power, no papel de Salomão. Ao morrer subitamente, o estúdio decidiu substituí-lo por Yul Brynner.

Quem já viu o filme de Scott afirma, no entanto, que algumas cenas que Spacey gravou foram reaproveitadas, especialmente as filmadas no deserto, com plano mais aberto. Será?

Relacionadas