domingo, 20 de maio de 2018
Cinema
Compartilhar:

Com Daniel Oliveira, ‘Aos teus olhos’ estreia nesta quinta em JP

André Luiz Maia / 12 de Abril de 2018
Foto: Divulgação
O avanço tecnológico na área da comunicação permitiu que mais pessoas pudessem expressar suas vozes de maneira livre, um avanço inquestionável para qualquer democracia. No entanto, as mesmas ferramentas podem propagar informações falsas ou enviesadas. Diante desta temática tão contemporânea, o filme Aos Teus Olhos, de Carolina Jabor, discute os limites éticos e o julgamento precipitado diante de uma situação à primeira vista inaceitável. O filme estreia nesta quinta-feira (12) em João Pessoa.

Rubens (Daniel de Oliveira) é um professor de natação que dá aula para uma turma para crianças. Retratado como uma figura afetuosa, espontânea e incentivadora, parece acima de qualquer suspeita. Isso até um de seus alunos ter dito à mãe que foi beijado na boca por ele e ela decide relatar o caso em um grupo na internet.

A partir daí, se instaura um tribunal que começa no campo virtual e rapidamente se transporta para o campo do real. A ideia do filme é acompanhar como a vida de uma pessoa pode ser devastada em um único dia por conta de um linchamento virtual. Temas polêmicos e divisivos não são novidades na filmografia da diretora, que teve sua estreia na ficção em 2014 com Boa Sorte. Lá, ela contou a história de um jovem que se apaixona por uma mulher soropositiva enquanto ambos estão internados em uma clínica de reabilitação psiquiátrica.

Outra Caça

De volta ao novo filme, a abordagem não é nova. Filmes como o dinamarquês A Caça já retrataram bem a história de uma criança que põe em cheque a credibilidade e moral de um adulto ao seu redor. Na trama dirigida por Thomas Vinterberg, tudo começa quando uma menina diz à diretora da creche que seu professor, Lucas, lhe mostrou as partes íntimas.

O que não passou de um mal-entendido (a menina repetiu um discurso que ouviu em casa, sem nenhuma relação direta ao que aconteceu ou deixou de acontecer com o professor) se torna um problema gigantesco para o professor, que passa a ser agredido. A simples acusação é suficiente para que a vida de Lucas vire de cabeça pra baixo. Mesmo sem provas de que aquilo tenha realmente ocorrido, ele se torna uma persona non grata em sua comunidade.

Perigo do ‘compartilhar’

Em Aos Teus Olhos, o roteiro não busca desvendar a verdade por trás dos acontecimentos. Pouco importa se a acusação é verdadeira ou não. A ideia é mostrar como uma acusação sem provas propagada pela internet pode ter efeitos devastadores e rapidamente fugir do controle, tão rápido quanto um comando de compartilhar nas redes sociais.

A história é uma adaptação da peça espanhola O Princípio de Arquimedes, de Josep Maria Miró. O título da obra original, por sinal, é curioso e funciona como analogia ao ponto-chave da história. O conceito da física afirma que “todo corpo mergulhado num fluido em repouso sofre, por parte do fluido, uma força vertical para cima, cuja intensidade é igual ao peso do fluido deslocado pelo corpo”. O filme se centra, então, nas pressões externas exercidas em cima de Rubens e como elas o afetam.

Quem já viu o filme elogia o equilíbrio do roteiro de Lucas Paraizo, que contou com a supervisão de George Moura, roteirista de Linha de Passe e dos seriados televisivos Amores Roubados, O Canto da Sereia e O Rebu. Apesar de retratar a escalada de violência em torno do personagem vivido do Daniel de Oliveira, a história evita a rota maniqueísta.

Análises

“O roteiro de Lucas Paraizo evita colocar o protagonista na posição de vítima injustiçada e vilanizar os pais do garoto, vividos por Stella Rabello e Marco Ricca. É do espectador a tarefa de decidir se Rubens é culpado ou inocente”, pontua a jornalista Carol Prado, em sua crítica ao filme para o portal G1. Ela também lembra de casos da vida real que corroboram com a história proposta pelo filme, como o da Escola Base, cujos funcionários foram acusados de abuso sexual durante a década de 1990, sendo posteriormente inocentados – não sem antes passarem por uma devassa pública.

O crítico de cinema Francisco Carbone, do site Cineplayers, reserva parte de sua análise para destacar o trabalho de atores no filme, lembrando das boas performances de Gustavo Falcão, Stella Rabelo, Marco Ricca e Rodrigo de Jesus. Os destaques vão para Mallu Galli, na pele de Ana, a diretora da escola de natação, que não sabe como se posicionar na história sem cometer injustiças, e Daniel de Oliveira, que vive Rubens.

“Enquanto a primeira parece fazer brotar em cada poro a sua dúvida e o seu desespero com a mesma, é nas costas de Daniel que reside tanto do filme. Um ator menos tarimbado talvez não tivesse sido tão corajoso e completo na gama de emoções onde seu Rubens é arremessado. Ora culpado ora inocente, o ator nos coloca no bolso e faz com que Aos Teus Olhos seja uma experiência ainda mais incômoda, expondo os lados ambíguos de uma sociedade sedenta por certezas que nunca virão”, pontuou.

Relacionadas