terça, 25 de setembro de 2018
Violência
Compartilhar:

Velório de dona de casa morta pelo tráfico teve escolta policial

Aline Martins / 11 de agosto de 2016
Após a morte da dona de casa Wilma Nascimento, 37 anos, na noite de segunda-feira, no bairro Jardim Veneza, em João Pessoa, familiares da vítima pretendem se mudar da cidade. Ela e outros membros da família receberam ameaças de morte de traficantes e a primeira alternativa foi sair de onde residia, no Porto do Capim, no Varadouro, para o Jardim Veneza, mas infelizmente, os criminosos cumpriram a ameaça antes da dona de casa viver nesse novo local.

Um dos filhos da vítima, um adolescente de 17 anos, que está internado no Centro Educacional de Jovens (CEJ) foi até o cemitério se despedir da mãe. Enquanto o que está preso na Penitenciária Modelo Desembargador Flósculo da Nóbrega (presídio do Róger), de 19 anos, não compareceu ao sepultamento.

Alguns amigos da vítima, que preferiram não se identificar, contaram que a família teme a vida por conta das ameaças recebidas e destacaram que o sentimento que mais rondava no velório era o medo.

Policiais militares fizeram a escolta do velório e sepultamento para garantir a segurança de familiares e amigos da dona de casa assassinada por conta do tráfico de drogas. A única ligação que a vítima tinha era ser mãe de três filhos que tinham envolvimento com entorpecentes.

Na semana passada, um filho dela que é deficiente e está em liberdade, quase foi morto quando conservava com um amigo que acabou atingido.

Wilma teria contado no hospital, que a morte dela tinha sido ordenada de um traficante preso na Penitenciária Doutor Romeu Gonçalves de Abrantes (PB1), em Jacarapé.

Internada

A adolescente de 12 anos baleada no último dia 5, em Santa Rita, continua internada na UTI doHospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, na Capita, em estado gravel. Ela levou dois tiros e a polícia informou que a menina tinha envolvimento com tráfico de drogas.

Relacionadas