quinta, 19 de outubro de 2017
Seca
Compartilhar:

Paraíba tem apenas 19,8% de água nos 124 açudes monitorados pela Aesa

Fernanda Figueirêdo / 15 de julho de 2015
Foto: Arquivo
Os 124 açudes monitorados pela Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa) na Paraíba estão guardando 744 milhões de metros cúbicos de água. Parece muito, mas são apenas 19,8% da capacidade hídrica do Estado. Em Teixeira, no Sertão, a falta de fiscalização nos reservatórios forçaram a atual gestão a fixar um cartaz escrito à mão em uma cerca de arame farpado, proibindo a retirada de água do São Francisco II, na zona rural do município. O prefeito Edmilson Alves afirma que o sistema de abastecimento do município está em colapso, em decorrência da falta de fiscalização da Aesa.

O prefeito diz ainda que ele mesmo comprou os canos e fará uma tubulação do açude São Francisco II, que está com 5% de sua capacidade, até a Companhia de Águas e Esgotos (Cagepa) instalada na cidade, de onde será direcionada para as residências. No entanto, a água que ele diz ser suficiente para aproximadamente três meses, não dará nem para 80 dias, de acordo com o presidente da Cagepa, Marcus Vinícius Neves.

“A obra não foi executada porque os estudos hidráulicos feitos pela companhia apontaram que o açude só tem água por mais 75 dias. Com o prazo de licitação e execução da obra - estimados em 60 dias - o manancial só iria abastecer a cidade por pouco mais de 15 dias”, explicou o presidente, completando que esta situação já havia sido esclarecida junto ao gestor.

Falta Fiscalização

O município de Teixeira está sem água nas torneiras desde meados de junho, com quatro açudes praticamente secos e dependendo de um único carro-pipa para fazer o abastecimento de toda a zona urbana, que recebia água encanada do açude Riacho das Moças. A equipe de reportagem do Correio da Paraíba esteve na cidade de Teixeira no final de abril e já havia alertado para a subtração de água no açude São Francisco II sem nenhum tipo de fiscalização.

Pipeiros que trabalhavam para a prefeitura de Desterro abasteciam seus veículos no reservatório. O prefeito Edmilson Alves disse que em 15 dias espera que as obras de tubulação estejam concluídas e que a cidade tenha água nas torneiras novamente, enquanto o manancial puder abastecer.

Relacionadas