Acesso

Seca
Compartilhar:

Açude é quase lama população de Cajazeiras corre risco de ficar de vez sem água

Francisco José / 20 de agosto de 2015
Os mais de 50 mil moradores da zona urbana de Cajazeiras, no Alto Sertão da Paraíba, correm o risco de sofrer colapso no abastecimento d’água, caso não ocorra uma recarga expressiva nos principais mananciais que abastecem a cidade. Com o racionamento, o abastecimento é suspenso das 16h do sábado às 17h do domingo. O açude Engenheiro Avidos (Boqueirão do Piranhas), o maior do município, está com apenas 8,8% de sua capacidade total.

Este é o nível mais baixo registrado em toda a história do reservatório, construído pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs). O baixo volume é consequência da estiagem que já entra pelo quarto ano. A Agência Estadual de Gestão de Águas (Aesa) está fazendo o monitoramento diário do manancial.

Por causa do reduzido volume do açude Engenheiro Avidos, a Cagepa (Companhia de Água e Esgotos da Paraíba) está fazendo a captação de apenas 153 litros por segundo. Com esse volume, a população está sendo obrigada a racionar água.

O gerente regional da Cagepa em Cajazeiras, Cleudismar Maciel, explica que, se não chover o suficiente para uma recarga substancial do açude, a captação será reduzida para 84,5 litros por segundo, sendo inevitável a ampliação do tempo de racionamento.

Para evitar o colapso, a Cagepa está construindo uma adutora de engate rápido para levar água do açude Lagoa do Arroz. A adutora de 300 mm, percorrerá cerca de 15 km e deverá ficar pronta até o final de 2015.

Leia mais no Jornal Correio da Paraíba

Relacionadas