terça, 17 de julho de 2018
Saúde
Compartilhar:

PB tem 4ª pior cobertura de mamografias do Nordeste

Katiana Ramos / 19 de abril de 2018
Foto: RAFAEL PASSOS
Na Paraíba, mais de 206 mil mulheres estavam aptas a realizar o exame de mamografia em 2017 por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). No entanto, a rede pública de saúde só alcançou 21% desse total e mais de 163 mil pessoas seguem sem ter feito o principal procedimento preventivo do câncer de mama. Essa realidade resulta, segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) de dois fatores: o medo da mamografia e as dificuldades para acessar o serviço.

A Paraíba obteve o quarto pior índice de acesso à mamografia, via SUS, para mulheres na faixa etária de 50 a 69 anos. Os dados são de uma pesquisa realizada pela SBM em parceria com a Rede Brasileira de Pesquisa. A professora Joana D’arc Medeiros, que está em tratamento contra o câncer de mama, está entre as mulheres que não fizeram a mamografia via SUS em 2017. Ela conta que decidiu fazer o procedimento somente após perceber um nódulo em uma das mamas, durante o autoexame. No entanto, por medo do exame e também receosa em esperar muito tempo para conseguir o a consulta fez todo o tratamento na rede privada. “Quando o médico pediu outros exames e biópsia eu decidi fazer tudo particular. Até a cirurgia eu fiz particular por medo de esperar pelo SUS e meu estado ficar grave. Gastei mais de R$ 10 mil”, revelou a professora.

A demora entre o acesso e o tempo aguardado pelas pacientes até fazer o exame é fundamental tanto para a prevenção quanto para o tratamento precoce do câncer, doença que já vitimou 726 mulheres na Paraíba, de 2015 a 2018, conforme pesquisa do Conselho Federal de Medicina. “Ainda estamos muito longe de conseguir uma cobertura adequada”, alertou o mastologista e presidente da Comissão Nacional em Imagem Mamária da SBM, Heverton Amorim.

Relacionadas