sábado, 22 de setembro de 2018
Saúde
Compartilhar:

O ABC da gripe: grávidas e profissionais de saúde abrem campanha de vacinação

Fernanda Figueiredo / 12 de abril de 2016
Foto: Divulgação
 

A liberação da vacina permitiu o início da campanha em Campina Grande (antes previsto para o dia 30), na manhã de ontem. A expectativa, segundo a Vigilância em Saúde de Campina Grande, é vacinar, neste primeiro momento, aproximadamente 5 mil gestantes e mais de 6 mil profissionais de saúde.

Segundo o Ministério da Saúde, existem 3 tipos de vírus influenza: A, B e C e a vacina distribuída na rede pública imuniza contra os dois primeiros e seus subtipos, que são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas pandemias. A boa notícia é que vírus não atacado pelo imunizante (o tipo C) causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionado com epidemias, garante o MS.

Os demais grupos prioritários, como crianças, idosos e doentes crônicos, só serão vacinados quando a Secretaria Municipal de Saúde receber a segunda remessa de doses, ainda sem previsão. No primeiro dia, a procura das gestantes pelo serviço lotou os centros.

“Neste momento, só iremos vacinar grávidas, de qualquer idade gestacional, e profissionais de saúde. Pedimos que as pessoas compreendam o fato de não podermos vacinar a todos. Também é importante que as grávidas saibam que terão o mês inteiro para procurar o serviço. É preciso calma para não tumultuar os postos nos primeiros dias”, disse a coordenadora de Vigilância em Saúde da SMS-CG, Eliete Nunes.

A estudante de contabilidade Roberta Espínola, 31 anos, está grávida de gêmeos e passou em média 40 minutos na fila para tomar a vacina logo no primeiro dia, na maternidade Instituto Elpídio de Almeida.

Já a nutricionista Patrícia Duarte, 25, está à espera do primeiro filho e confirma a importância de se prevenir contra o mosquito Aedes aegypt e contra a gripe. “É preciso obedecer às medidas preventivas, mas sem alarde. Faço tudo pra que meu Gustavo nasça com saúde”, afirmou Patrícia, que está no 8º mês de gestação.

Proteção para os dois. “A vacina deixa as grávidas protegidas contra a Influenza A e B. Outro ponto importante é que os anticorpos protetores que a gestante produz depois de vacinada passam através da placenta e pelo leito materno e protegem o bebê nos primeiros seis meses de vida”, disse a infectologista Priscila Sá.

 

 

Relacionadas