quarta, 22 de novembro de 2017
Saúde
Compartilhar:

Faltam remédios e seringas na rede de saúde de JP

Bruna Vieira / 22 de março de 2016
Foto: Assuero Lima
A falta de medicamentos na rede municipal de saúde de JP está se tornando rotina para pacientes de diabetes.

Sem dinheiro, mas a doença não espera e para conseguir comprar os remédios, alguns deixam de comprar alimentação. É o caso do aposentado Fernando Antônio Azevedo, que recebe fitas e lancetes no Distrito Sanitário V em Miramar. Há mais de dois meses sem os insumos, ele recorreu à Ouvidoria do órgão, que pediu 20 dias para dar um posicionamento.

Enquanto isso, ele vai até o Distrito, na esperança que um dia tenha a medicação. “Eu também recebia o Daflon, para circulação. Há mais de quatro meses não tem. Tem que esperar pela vontade Jesus. Não posso ficar sem tomar o remédio, deixo de comprar comida para ter a saúde. E nem posso caminhar muito, mas, venho para saber se já chegou. Não é só a entrega que está péssima. Há quatro meses preciso fazer um exame, Doppler colorido e ainda não marcaram porque não tem laboratório. Quem precisa sofre”, desabafou o aposentado.

Farmácia fechada.O comerciante Everaldo de Andrade reclama desta vez, pela falta de seringa. “Estive no Cais do Cristo sexta-feira. A farmácia estava fechada. Disseram que não havia farmacêutico e me mandaram para o PSF da Bela Vista. Entregaram a insulina, mas, não tinha seringa. São 60 que a minha mãe usa por mês. Há cinco anos é essa briga e já sugeriram até que reaproveitasse duas vezes. Não faço isso, não vou correr risco de uma infecção. Tem que entregar conforme a prescrição. Ela tem 78 anos, está acamada. Só ontem voltou a andar por conta de uma queda. É uma luta e ainda tem que correr atrás do medicamento. Ela não pode ficar sem medicação”, contou o filho de Emérita Andrade.

Leia mais no Jornal Correio da Paraíba.

Relacionadas