segunda, 18 de junho de 2018
Saúde
Compartilhar:

Consumir menos, viver mais: acordo retira 14 mil toneladas de sal de alimentos processados

Bruna Vieira com assessoria / 30 de junho de 2016
Foto: Divulgação
A Pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico aponta João Pessoa como a 7ª capital do país e 4ª do Nordeste com maior número de adultos que informaram ter diagnóstico médico para hipertensão: 25,4%. Esse dado é maior que a média nacional (24,9%). As mulheres também são maioria. Por isso, o acordo para redução do sódio nos alimentos. Entre os homens, João Pessoa é a 4ª cidade do País e 2ª do Nordeste com maior índice de hipertensos (23,6%). O número é maior entre os mais velhos e menos escolarizados. O Ministério da Saúde divulgou os resultados que poderão acrescentar mais quatro anos de vida aos hipertensos e livrar 1,5 milhão de pessoas da medicação para hipertensão.

O consumo de sal deve ser observado não apenas na mesa, mas, também, na compra no supermercado, pois, em excesso é fator de risco para as doenças crônicas, cardiovasculares e renais. O acordo entre o Ministério da Saúde e a Associação das Indústrias da Alimentação, firmado em 2011 retirou 14.893 mil toneladas de sódio dos alimentos processados. Até o fim da década é preciso retirar quase o dobro. Os resultados foram divulgados ontem pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros e o presidente da Abia, Edmundo Kloz, em entrevista coletiva. A próxima etapa é para reduzir o consumo de açúcar.

O ministro da Saúde, ressaltou que o açúcar em excesso é tão perigoso quanto o sal. “A redução do sódio nestes alimentos, tão consumidos pela população, é fundamental. O excesso de sódio é muito prejudicial à saúde em longo prazo. Precisamos tomar todas as iniciativas possíveis para promover essa redução. A população precisa estar atenta, não somente ao sal, mas também ao açúcar que é adicionado aos alimentos. É importante frisar que o açúcar está presente na maior parte do que é consumido e, se cada cidadão brasileiro cuidar da sua saúde, o povo brasileiro será mais saudável”, ressaltou Ricardo Barros.

Principais fontes de sódio:

Sal adicionado na preparação e no consumo de alimentos

Sódio presente nos alimentos processados

Sódio nos alimentos consumidos e preparados fora do domicílio

Aumento no caldo líquido. Se por um lado, houve redução, por outro, caldos líquidos e em gel tiveram aumento na concentração de sódio (8,84%). Edmundo Kloz, presidente da Abia, afirmou que haverá empenho para conseguir resultados satisfatórios na próxima etapa. “Esperamos conseguir, inclusive, preparar, de maneira eficaz, a tecnologia para fazermos também a redução do açúcar, com o mesmo sucesso e ritmo que tivemos na redução de sódio”, declarou.

As indústrias que não alcançarem o resultado esperado de redução são notificadas pelo Ministério da Saúde e devem encaminhar uma justificativa e nova estratégia para a diminuição. Os produtos analisados continuam no programa e novas metas são traçadas para maiores reduções.

Leia Mais

Relacionadas