terça, 12 de dezembro de 2017
Cidades
Compartilhar:

Jovem lembra como saiu da criminalidade e se mobiliza contra redução da maioridade penal

Lucilene Meireles / 24 de julho de 2015
Foto: Assuero Lima
"Tudo começou pela influência de amigos. Fui viver na rua aos 12 anos e minha família desmoronou. Podia fazer o que quisesse e escolhi o pior. Roubei, trafiquei, usei drogas, participei de grupos de extermínio. Foram três anos nessa vida. Um dia, cansei e resolvi procurar ajuda. Agora tenho a verdadeira liberdade”. O depoimento é de Thiago (nome fictício), 20, que venceu as drogas e saiu da criminalidade. Ontem, ele saiu às ruas contra o extermínio da juventude e a redução da maioridade penal, durante um evento alusivo aos 25 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), em João Pessoa.

O Mapa da Violência 2015 aponta a Paraíba como o 7º Estado do País onde há maior risco de morte aos 16 e 17 anos. “A realidade do extermínio sempre existiu. Só está mais pública com o debate da redução da maioridade penal. E isso reavivou também a militância”, declarou Carmem Meireles, presidente do Conselho Estadual da Criança e do Adolescente (Cedca). Ela acredita que as manifestações são importantes para mostrar à sociedade que são necessárias políticas públicas.

Entre os grupos reunidos na manifestação, o movimento Levante Popular da Juventude chamou a atenção para as histórias que se repetem diariamente, vitimando os pobres e negros. “O corpo de um adolescente foi encontrado crivado de balas no momento em que estava sendo resgatado pelo Levante. Ninguém sabe quem e por quê matou, mas vemos que estes jovens vêm sendo dizimados. O caso foi no Ceará, mas poderia ser em qualquer lugar e a redução da maioridade penal não vai mudar isso”.

Relacionadas