segunda, 24 de setembro de 2018
Policial
Compartilhar:

Se vestiu de policial militar e foi roubar motos

Aline Martins / 12 de julho de 2016
Foto: Divulgação
Um ex-policial militar de 50 anos foi preso na manhã de ontem, quando saia de casa, no bairro da Torre, em João Pessoa. Ele é suspeito de roubo de algumas motos em cidades da Paraíba. Apesar de ter sido expulso da corporação em 1991, o homem ainda usava a farda para sair de sua residência, que segundo a Polícia Civil, estava se passando por policial. Pelo menos quatro motos roubadas pelo ex-policial já foram recuperadas, mas outras três pessoas também compareceram a delegacia para registrar denúncia de furto.

A investigação já tinha sido iniciada pela Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC) e em uma delas, apontou que o ex-policial militar teria realizado alguns roubos de motos. Ele foi flagrado por câmeras da Superintendência de Trânsito e Transporte Público (STTP) de Campina Grande, no Agreste paraibano, pilotando uma moto roubada. O delegado Getúlio Machado informou que quatro motos roubadas pelo homem já havia sido recuperada, mas na manhã de ontem, três pessoas foram a delegacia e registraram queixa de roubo de motos. “Só que deve aparecer muito mais pessoas, pois ele confessou que fez várias vezes esse crime”, comentou.

No momento da prisão, o ex-policial estava fardado mesmo após ter sido expulso em 1991 da corporação por prática irregular. Tanto o delegado quanto o secretário de Estado da Segurança e Defesa Social, Cláudio Lima, não souberam informar o motivo da expulsão do homem. “Não temos o motivo formal de sua expulsão, só relatos de colegas informalmente de que teria sido por estelionato”, contou. Getúlio Machado explicou que o ex-policial alugava as motos e desaparecia. Ele conseguia de forma rápida porque se passava como ativo na corporação e isso facilitava o aluguel das motos. O homem foi autuado em flagrante e passará no dia de hoje por audiência de custódia. “A Justiça decidirá o que acontecerá com ele”, pontuou.

O secretário da Seds, Cláudio Lima, informou que após a saída do ex-policial, ele perde o vínculo com a instituição Policial Civil e Militar. “A Polícia não pode fazer mais nenhum acompanhamento. Ele perdeu o vínculo. A Polícia não tem um controle disso e infelizmente, alguns deles contribuem para o crime”, revelou.

“Ele alugava as motos por alguns dias por R$ 30, 40 ou R$ 90, depois desaparecia e empenhava as motos. Ele se passava por policial porque andava fardado”. Getúlio Machado – delegado de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas

Leia Mais

Relacionadas