terça, 17 de julho de 2018
Policial
Compartilhar:

Operação prende o traficante de bichos mais denunciado do Brasil

Renata Fabrício e Ainoã Geminiano / 05 de abril de 2018
Foto: Reprodução TV Correio
As cidades paraibanas de Campina Grande e Junco do Seridó estão na principal rota de tráfico de animais do País, segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). No esquema criminoso, Campina funciona como uma espécie de ponto de distribuição enquanto que Junco é a sede do principal ponto de captura de animais silvestres. Foi lá que o Ibama e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) prenderam o traficante mais procurado do Brasil, considerado o “zero 1” na lista dos mais denunciados pelo Ibama.

Valdivino Honório de Jesus, 61, é funcionário da Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária (Emepa) e foi preso no distrito de Bom Jesus, em Junco do Seridó. O acusado coleciona 16 ações judiciais e teve a prisão preventiva decretada a pedido do Ministério Público.

Desde o último dia 19 de março o Ibama, junto com a PRF, realiza operação em várias etapas. No último fim de semana, o foco era o combate ao tráfico de fauna. Pelo menos oito pessoas foram presas na Feira Central de Campina Grande e 90 animais foram resgatados. Diligências continuam, mas com foco no desmatamento da Caatinga.

Só o coordenador da operação que acontece simultaneamente em vários estados do Brasil, Jaime Pereira, já prendeu Valdivino pelo menos três vezes. O Correio relembra que em setembro do ano passado noticiou a prisão de Valdivino, mas como as penas são de até dois anos, os acusados geralmente respondem em liberdade. Desta vez, por se tratar de uma prisão preventiva a pedido do MP, Valdivino está preso na Penitenciária Regional de Patos, no Sertão. “Nem o próprio Valdivino tem ideia de quantos animais já traficou,” relatou Pereira.

Operação fez prisões em CG

A polícia confirma o relato que Valdivino deu à equipe da TV Record, de que já sabia que seria preso. “A Paraíba é um Estado celeiro da prática de tráfico de animais. Foram levantadas as informações e decidimos deflagrar em Campina Grande, em razão da possibilidade de ele estar presente. Fomos até a feira e ele não estava. Realizamos prisões de feirantes e apreensão de dezenas de aves e depois partimos para o local onde ele poderia estar, no distrito de Bom Jesus, município de Junco do Seridó. Fizemos o cerco e encontramos ele tranquilo. Disse que já sabia que a polícia estava chegando devido a movimentação na cidade”, disse o coordenador da operação.

Só em 2017, o Ibama da Paraíba fez operações em 12 feiras livres e apreendeu 620 animais, maioria aves.

Relacionadas