sexta, 20 de julho de 2018
Policial
Compartilhar:

‘Novo cangaço’ ataca com armas exclusivas do exército e causa terror em Boqueirão

Ricardo Júnior / 16 de maio de 2018
Foto: Chico Martins
Um longo tiroteio rompeu o silêncio das ruas de Boqueirão, no Agreste paraibano, durante mais uma ação violenta do “novo cangaço”. Na madrugada dessa terça-feira (15), bandidos armados o fuzil calibre 556, de uso restrito das Forças Armadas e das forças de segurança, e munições traçantes, detonaram o cofre da agência dos Correios e espalharam o terror na cidade. O grupo chegou a atirar contra o prédio do destacamento da Polícia Militar, mas não houve confronto.

Segundo informações da PM, o relógio marcava 2h30 da madrugada, quando o grupo chegou à cidade em um veículo Gol Preto. Os suspeitos arrombaram a porta da agência e usaram explosivos para detonar o cofre, contudo, a gerência do estabelecimento não informou se havia dinheiro dentro dele. Essa foi a primeira vez que a agência foi atacada este ano. Com o objetivo de assustar os moradores e intimidar a polícia, os bandidos efetuaram vários tiros com fuzil calibre 556 em direção ao prédio da 3ª Companhia Independente de Polícia Militar (3ª CIPM).

“Eles utilizaram munições traçantes, que são aquelas que deixam rastro luminoso à noite, em locais com pouca ou nenhuma visibilidade. Os disparos foram efetuados de um local distante e passaram por cima do prédio. Inclusive, o fuzil calibre 556 é de uso restrito das Forças Armadas e das forças de segurança”, destacou o comandante da 3ª CIPM, major Alysson Figueiredo.

Alysson contou que, no momento do crime, haviam 13 policiais e três viaturas no prédio do destacamento, mas não houve confronto com os bandidos.

De acordo com o major Figueiredo, o grupo fugiu em direção ao sítio Laje, na zona rural de Boqueirão, e ainda jogou grampos nas vias.

Contagem

Conforme o Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos da Paraíba (Sintect-PB), foram registrados cerca de 130 ataques contra agências dos Correios, entre assaltos, arrombamentos e explosões. O número é de dezembro de 2017 até essa terça-feira (15).

Relacionadas