quinta, 14 de dezembro de 2017
Policial
Compartilhar:

Motim reascende debate de superlotação no Róger; presídio tem duas vezes mais presos

Nice Almeida com informações de Maurílio Júnior / 21 de agosto de 2015
Foto: Maurílio Júnior
O motim realizado por detentos do Presídio Flósculo da Nóbrega, o Róger, na manhã desta quinta-feira (20), traz à tona mais uma vez um problema antigo no sistema prisional brasileiro: a superlotação. Atualmente a Casa de Detenção pessoense tem 1.369 pessoas cumprindo pena, mas só deveria ter 600. Significa que a penitenciária do Róger tem duas vezes mais presos que o suportado.

O diretor do presídio, Lincoln Gomes, reconheceu o problema, mas negou que isso, associado a más condições, tenham sido as causas do princípio de rebelião. "Aqui está aberto a qualquer fiscalização, tanto do judiciário, quando do Executivo ou de ONGs. Não falta alimentos, mas é preciso o familiar do preso entender que enquanto ele estiver aqui dentro do presídio vai ser submetido à lei. Temos problemas sim, como a questão da superlotação, mas que estamos tentando corrigir", explicou o diretos após denúncias de parentes de presos dando conta de que estaria faltando comida e outros direitos dentro da Casa de Detenção.

O tumulto foi iniciado quando o dia ainda estava começando e o motivo foi a proibição das visitas em um dos pavilhões do presídio durante 15 dias. De acordo com o diretor Lincoln Gomes, a suspensão de visitantes ocorreu, porque foram encontrados telefones e drogas durante um pente-fino feito nas celas.

Os presos, então, reagiram a decisão da direção e realizaram o motim que, segundo Lincoln, logo foi controlado pelos agentes, que tiveram o reforço do Grupo Penitenciário de Operações Especiais (GPOE). Um detento ficou ferido e houve informações de que outro teria morrido. Porém, a morte do preso não foi confirmada.

Segundo o diretor, Lincoln, foram 12 os presos envolvidos no motim ocorrido no pavilhão PB4, onde atualmente ficam 80 detentos. "Doze apenados queimaram colchões e quebraram telhas. Infelizmente passaram informação errada de que haveria de morte e causou tumulto entre familiares", declarou.

Relacionadas