quinta, 21 de setembro de 2017
Policial
Compartilhar:

Caso Aryane: justiça nega recurso da defesa do acusado de matar a estudante

Julio Silva / 05 de agosto de 2015
Foto: Arquivo
A 5ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STF) negou, por unanimidade, o recurso da defesa do acusado de matar a estudante Aryane Thaís de Azevedo. A sessão foi realizada ontem, em Brasília. Apontado como autor do crime, Luiz Paes de Araújo Neto continuará respondendo o processo em liberdade.

A mãe da vítima, Hipernestre Carneiro, relatou que a defesa de Luiz Paes de Araújo Neto tentou justificar que o réu não tinha motivos para matar Aryane. “A defesa alegou que Aryane poderia ter feito o aborto antes e que no domingo encontraram uma mulher assassinada do mesmo jeito no Cabo Branco. Outro argumento utilizado pela defesa foi por qual motivo alegaram que foi Luiz se não existe testemunha ocular” sobre a autoria do crime, disse.

Sobre a decisão do Superior Tribunal de Justiça, ela comentou que cumpriu o dever como mãe em busca de justiça e que vai ajudar outras mães de mulheres mortas, que formam o grupo Mães na Dor, a buscarem os tribunais. “Meu coração vai se acalmar e deixarei minha filha descansar em paz. Agora é correr atrás dos processos das outras vítimas que estão parados, continuar abraçando quem me abraçou até agora.

A reportagem tentou contato por telefone com o advogado do acusado, Luiz Paes, para saber como será o prosseguimento do processo e se ele irá recorrer da decisão, mas até o fim desta edição ele não respondeu às chamadas.

Sentença

A estudante de enfermagem Aryane Thaís foi encontrada morta no dia 15 de abril de 2010, às margens da BR-230. Ela estava grávida e o acusado do crime, Luiz Paes de Araújo Neto, seria pai da criança. Ele recebeu a condenação de 17 anos e seis meses de prisão pelo 1° Tribunal do Júri da Comarca de João Pessoa, na noite do dia 19 de setembro de 2013.

 

Relacionadas