domingo, 19 de novembro de 2017
Cidades
Compartilhar:

Páscoa será mais econômica: 75% apontaram que crise afetou celebração

Ellyka Akemy / 24 de março de 2016
Foto: Arquivo
Seis em cada dez brasileiros terão uma Páscoa mais econômica este ano. Foi o que revelou uma pesquisa feita pela Dunnhumby, multinacional inglesa líder em ciência do consumidor, que procurou identificar a maneira como a crise está afetando a comemoração da data. 75% dos entrevistados apontaram que o momento econômico afetou o modo que eles irão celebrar a Páscoa.

Mais da metade dos brasileiros (61%) estão pesquisando mais antes de comprar. A funcionária pública, Lourdes Medeiros, está nesse grupo. “Embora a gente não tenha muito tempo para isso, tem que fazer, porque você acaba conseguindo uma boa economia”, comentou. Foi pesquisando que ela conseguiu comprar os ovos de Páscoa na promoção. “Descobrir que um hipermercado estava oferecendo produtos com desconto, comprei dois ovos de chocolate pelo preço de um”, revelou.

O segurança, Edson Barra-Nova, contou que economizou R$ 100 na compra do peixe. “Tem que pesquisar. Costumo comprar no Mercado Central, porque os preços por aqui são mais acessíveis. Comprei dois quilos de Agulhão Branco e um e meio de Meca e paguei R$ 85”, revelou.

Produtos da Páscoa - Segundo a pesquisa, oito em cada dez pessoas declararam que o supermercado é o melhor lugar para comprar o ovo de chocolate. As lojas especializadas ficaram em segundo lugar na preferência do consumidor, sendo apontadas por 47% dos entrevistados. O estudo revelou que 66% das pessoas pretendem comprar ovo de chocolate, e outros 58% afirmaram que o produto é item indispensável na comemeoração da data.

De acordo com a pesquisa, diminuiu o percentual de pessoas que preferiram comprar outros tipos de chocolate em vez do tradicional ovo de Páscoa. Em 2015, eram 64% e este ano caiu para 49%.

O segurança Edson está nesse grupo. “Para minha sorte, minha filha não gosta de ovo de Páscoa, ela prefere as barras de chocolate. Bom, porque economizo nas compras”, comentou.

Leia mais no Jornal Correio da Paraíba.

Relacionadas