domingo, 18 de fevereiro de 2018
Luto
Compartilhar:

Amigos e familiares se despedem de Neno Rabello

Aline Martins / 13 de julho de 2016
Foto: Nalva Fiegueiredo
Amigos e familiares se despediram no dia de ontem do jornalista e empresário Humberto Flávio Rocha Rabello (Neno Rabello), que sofreu um infarto e morreu na noite de segunda-feira, aos 62 anos de idade, no seu apartamento, no bairro de Manaíra, em João Pessoa. Atualmente Neno Rabello, lembrado por muitos como um homem guerreiro, estava com um programa na rádio Correio AM, do Sistema Correio de Comunicação. No próximo mês iria lançar o seu livro de crônicas. Ele foi enterrado na tarde de ontem, no cemitério Parque das Acácias, no bairro do José Américo, na Capital.

Por 16 anos, o jornalista dirigiu a revista A Semana, a qual fundou, e também geriu várias empresas do ramo da comunicação em João Pessoa e também em Campina Grande. Ele era divorciado e deixou três filhos e três netas. Um dos filhos, Humberto Neto (Beto Rabello) comentou que o pai sofria há anos com o diabetes que comprometeu muito sua saúde. Informou também que o comunicador já havia feito uma cirurgia no coração. “Meu pai sempre foi um guerreiro, um visionário, um cara a frente do tempo e que ao longo da vida soube enfrentar as dificuldades de saúde da melhor maneira. Sempre foi um exemplo de superação”, ressaltou.

Livro será homenagem. Neno Rabello era o segundo de cinco irmãos. O colunista Gerardo Rabello, irmão do jornalista, comentou o jornalista e empresário conhecia muitas pessoas. “Ele tinha papo, tinha história para todo mundo e para todo mundo não no sentido pejorativo – no sentido de amplo. Não existia credencial, existia bem querer e boa conversa e isso era lei para ele. Era um homem que, com todas as diferenças que ele adquiriu em função do diabetes – a cegueira, não andar direito, ele nunca blasfemou, ele nunca reclamava da doença ou dos impedimentos que ele foi acometido. Pelo contrário, tinha força de vontade e queria vencer e procurava realizar”, comentou, destacando que o irmão deixou um livro pronto para ser lançado no próximo mês, no dia 2 de agosto, mas que a família pretende lançá-lo como forma de homenagem. Já havia sido planejado como seria o lançado, no programa que tinha na rádio Correio AM.

Longa amizade. O empresário e diretor do Sistema Correio de Comunicação, Roberto Cavalcanti, esteve também no velório do jornalista na manhã de ontem. Ele revelou que Neno foi um dos primeiros amigos que fez quando chegou a João Pessoa. “Sempre aquela animação, aquela alegria, sempre uma casa cheia. Dos vários amigos em comum, todos nós hoje estamos lamentando essa perda. Eu não poderia dizer que não era uma perda que havia expectativa, nós sempre torcemos pela saúde de Neno, mas sempre sabíamos da fragilidade de Neno. Envelheceu precocemente. Perdeu a visão. Neno tinha problemas sérios de glicemia”, comentou.

“Eu acho que Deus tenho certeza deve ter o levado da maneira mais feliz, que é a morte inesperada. Eu rogo a Deus que tenha morte semelhante. Morte na qual você não padece pouco a pouco. Ele se foi". Roberto Cavalcanti, diretor do Sistema Correio.

Relacionadas