sexta, 28 de julho de 2017
Justiça
Compartilhar:

Ex-diretora do presídio feminino do Serrotão é condenada por favorecer presas

Giovannia Brito / 05 de agosto de 2015
Foto: Arquivo
A juíza Rosimeire Ventura Leite, da 2ª Vara Criminal, condenou a ex-diretora adjunta do Presídio Feminino do Serrotão, Silnara Araújo Galdino, a três anos e dois meses de prisão em regime aberto, além de multa, por favorecimento de presas do regime semiaberto com a redução de penas feitas de forma ilegal.

Mais quatro foram condenados, entre elas, a nutricionista Carmem Moura de Barros Spa, sentenciada a quatro anos de prisão.

Além das duas também foram condenadas Maria Luiza; Precila Rodrigues; e Rutinéia Costa também foram condenadas, com penas de um ano e seis meses em regime fechado.

O esquema foi descoberto em janeiro de 2014, após a deflagração da Operação Remição, quando nove pessoas foram acusadas de formar uma quadrilha para beneficiar as detentas.

A diretora se utilizava do cargo para remover as presidiárias para setores onde pudessem trabalhar na cozinha e assim, terem a pena reduzida.

No entanto, na declaração de trabalho, as horas trabalhadas eram adulteradas para um número maior de atividades.

Em troca, a ex-diretora recebia permissão da nutricionista para usar um flat de sua propriedade, além de ficar com dinheiro da venda de artesanato confeccionado pelas detentas, de acordo com as investigações.

Reportagem completa no jornal Correio da Paraíba.

Relacionadas