sábado, 17 de fevereiro de 2018
Justiça
Compartilhar:

Balanço do trimestre mostra que Índice de satisfação do consumidor com o MPProcon é alto

Edson Verber / 31 de julho de 2016
Foto: Arquivo
Com alto índice de solução das questões apresentadas, na casa dos 83%, o MP-Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério Público da Paraíba), registra aumento mensal na procura por parte dos consumidores, que chega à casa dos 220, em média, na nova sede, por trás do Cassino, na Lagoa do Parque Solon de Lucena, em João Pessoa. Em maio foram 235 atendimentos, junho 221 e julho, até o dia 19, 170. E os atendimentos preliminares com solução imediata foram: 141 em maio, 127 em junho e 124 até 19/07.


O diretor-geral do MP-Procon, Francisco Glauberto Bezerra, explicou que os atendimentos realizados são compostos por: simples consulta - onde os consumidores recebem orientação e informações sobre diversos assuntos. Atendimento preliminar - que ocorre por telefone com solução imediata. E encaminhamento para fiscalização e abertura de reclamação, com agendamento de audiência.


Sobre os atendimentos mês a mês, Glauberto ressaltou que “é importante salientar que junho é um mês atípico, tendo em vista o período de festividade e de chuva, de forma a influenciar no número de atendimentos, pois a procura diminui. Mesmo assim, é possível observar que entre maio e junho, apesar da redução, o número de atendimentos manteve a média entre os dois meses. Da análise dos números, infere-se que o atendimento no mês de julho registrado até o dia 19 já alcançou o quantitativo de 170”.


 Ao analisar os números positivos o diretor geral do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério Público da Paraíba, destacou que “sem dúvidas se deve ao trabalho conjunto que estamos realizando em defesa do direito das pessoas de terem um consumo seguro. Para tanto, contamos com parcerias importantes de órgãos públicos, com destaque para as vigilâncias sanitárias, Procons, Corpo de Bombeiros, Polícias Civil e Militar. Também destaque-se o apoio que temos recebido do procurador-geral de Justiça, Bertrand de Araújo Asfora e de instituições como a Fundação Solidariedade”.


Relacionadas