segunda, 18 de junho de 2018
João Pessoa
Compartilhar:

Transporte ferroviário está fora dos trilhos

Lucilene Meireles / 06 de julho de 2016
Foto: Assuero Lima
Há um mês, Josinete Vicente Ferreira, que é empregada doméstica, sente no bolso o impacto da interdição da linha férrea entre o Varadouro e Mandacaru. O custo de deslocamento da dona de casa para o trabalho passou de R$ 1 para R$ 6. E o aperreio só deve acabar na sexta-feira, quando os trens devem ser liberados para circular sem interrupção, entre Santa Rita e Cabedelo. A interdição ocorreu, depois que um vagão do trem descarrilhou. Percorrendo o trecho em obra, é impossível não se perguntar como um trem conseguiria andar sobre trilhos cobertos de lama.

A troca das peças com problemas vai durar mais um mês, mas as viagens serão mantidas, com a redução da velocidade do transporte no trecho em obras. Mas este não é o único problema do transporte ferroviário, que poderia até ser um atrativo turístico na Grande João Pessoa, mas geralmente é usado só por pessoas de baixa renda, principalmente por causa da insegurança e depredação.

Em uma das que estão distribuídas entre Santa Rita e Cabedelo, os sinais do vandalismo estão presentes em lâmpadas quebradas com pedras, paus, tijolos, e na estrutura amassada. Os funcionários que, por medo, preferiram não se identificar, dizem que agora o período é de calmaria e que a Polícia Militar realiza rondas pela área. Porém, relatam que já houve ameaças de usuários de drogas e frequentadores de uma boca de fumo próximo ao local, inclusive com armas.

“Fui ameaçado com faca, revólver, porque os vândalos e traficantes acham que nós denunciamos, mas são os próprios passageiros que têm medo e acionam a polícia”, declarou um deles. Já os usuários admitem sentir medo, mas afirmam que precisam esperar o trem ali, expostos aos riscos.

O aposentado Francisco de Sousa nunca foi vítima, mas relatou ter presenciado assaltos, inclusive dentro do trem. “Os ladrões desceram na estação e foram embora. Apesar de ser o melhor transporte, é muito perigoso, está marginalizado. Acho lamentável”, declarou.

Prejuízo. Enquanto o trecho está interditado por conta das obras, usuários que dependem dos trens são penalizados, pagando mais caro nos ônibus. Com o valor de apenas uma passagem no coletivo (R$ 3) seria possível fazer seis viagens de trem, que custa R$ 0,50. Josinete Vicente Ferreira é empregada doméstica e sai de Mandacaru para Santa Rita todos os dias.

Leia Mais

Relacionadas