quarta, 23 de agosto de 2017
João Pessoa
Compartilhar:

Moradores do Cristo denunciam falta de médicos, remédios e demora para exames

Aline Martins / 21 de agosto de 2015
Foto: Nalva Figueiredo
Cansados da falta de assistência, um grupo de pacientes que deveriam ser atendidos na Unidade de Saúde da Família Unindo Vidas, no Cristo Redentor, em João Pessoa, se reuniu para denunciar problemas na saúde básica: falta de médicos dentistas, de medicamentos, de materiais e a longa espera para a marcação de exames e cirurgias.

No espaço, são atendidos moradores de quatro comunidades do bairro: Bela Vista I e II, Vale das Palmeiras e Bom Samaritano.

Há dois anos, o comerciante Everaldo Andrade sofre para receber 60 seringas mensais para aplicação de insulina na mãe de 78 anos, que tem diabetes. Ele aguentava calado, mas disse que revoltou-se ao saber que uma amiga perdeu o pai, semana passada, por falta de assistência, e pediu ajuda ao Jornal Correio.

Já a dona de casa Silvânia da Silva, 33, toma um anticoncepcional que está em falta na USF. Em 2013, ela descobriu um cisto nas cordas vocais e, até agora, não conseguiu a cirurgia para retirá-lo. “Fui ao médico, ele passou um remédio para diminuir. O médico faz o pedido da cirurgia e, por demorar tanto, acaba vencendo. Tem dias que inflama e fica irritado até com uma poeira”

Pacientes reclamam que a marcação de exames demora até seis meses, na unidade. Um deles aguarda exames de sangue, fezes e urina há quatro meses.

Problemas 



  • Falta de seringa;


  • Falta de anticoncepcionais;


  • Faltam materiais para exame citológico;


  • Falta teste de gravidez;


  • Demora na marcação de exames e cirurgias de qualquer especialidade.




Nota da SMS-JP

“Está em andamento a contratação de médicos para as duas equipes que estão sem os profissionais na USF Unindo Vidas. Os atendimentos estão sendo realizados pelos profissionais das outras equipes. Quanto aos insumos citados, a direção do distrito afirma que são faltas pontuais, e a distribuição está sendo realizada de acordo com o calendário previsto. Já em relação aos exames e consultas que estão em atraso, as equipes estão empenhadas na resolução de cada caso o mais rápido possível”.

A assessoria de imprensa confirmou que, na rede básica, há seis vagas para médicos e a SMS está recebendo currículos.

Relacionadas