quarta, 18 de outubro de 2017
João Pessoa
Compartilhar:

Cresce procura por produtos orgânicos e João Pessoa tem empresa que entrega em casa

Redação / 11 de setembro de 2017
Foto: Whatsapp
Os produtos orgânicos estão cada vez mais presentes na mesa dos brasileiros e vêm conquistando o paladar das pessoas, em primeiro lugar, pela busca por saúde. A afirmação é confirmada por uma pesquisa realizada pelo Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável (Organis), que traçou o perfil do consumidor de produtos orgânicos. No Nordeste, 15% dos entrevistados informaram consumir produtos orgânicos.

Entretanto, a falta de lugares próximos para comprar o produto foi uma das principais barreiras apontadas por 12% das pessoas que responderam à pesquisa para o consumo. Mas, em João Pessoa, esse caminho tem sido encurtado e a ausência de um lugar para comprar orgânicos já não pode mais ser uma desculpa para consumir os produtos.

Adepto de uma dieta saudável há muito tempo, o casal Washington França da Silva e Sonia Germano decidiu, há pouco mais de um ano, levar a prática do consumo de comidas orgânicas para os pessoenses que antes não tinham acesso a esses produtos. Foi então que surgiu a ideia de criar o ‘Empório Caçuá’, uma microempresa que leva até as casas das pessoas verduras, legumes e frutas produzidos sem o uso de adubos químicos e agrotóxicos e colhidos praticamente na hora de vender.

“Nós entregamos os produtos nas casas dos clientes durante a semana e aos sábados pela manhã montamos uma tenda no cruzamento das ruas Infante Dom Henrique e Isidro Gomes, no estaciornamento do Sabores da Terra, onde também dispomos de produtos orgânicos. Nossos alimentos são colhidos praticamente na hora de vender. Eu saio de casa ainda de madrugada e vou até a granja onde esses produtos são colhidos para que eles cheguem fresquinhos às mesas dos pessoenses”, contou Whashington França.

Questões relacionadas à saúde compõem a principal motivação para o consumo de produtos orgânicos, de acordo com a pesquisa da Organis. Das pessoas entrevistadas, 64% acreditam que é mais saudável. E a disposição para aumentar o consumo é grande entre os que responderam à pesquisa. No Nordeste, 79% afirmaram ter essa disposição.



É o caso da funcionária pública aposentada Maria Helena Torres. Ela conta que quase não consumia comidas orgânicas, mas com a chegada do Empório Caçuá nas proximidades de sua casa ficou mais fácil aderir a uma alimentação mais saudável. “Com o passar do tempo a gente fica mais preocupado com a saúde, em melhorar nossa alimentação. E ter acesso a produtos orgânicos, ainda mais esses que a gente compra logo depois de serem colhidos é muito importante. Agora que eu sei que tem essa tenda pertinho da minha casa, não vou mais relaxar na dieta”, brinca.

A pesquisa foi uma parceria entre Organis e o Instituto de Pesquisa e Opinião Pública Market Analysis. Na metodologia aplicada foram realizadas 905 entrevistas, com adultos entre 18 e 69 anos, residentes em nove capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Salvador, Porto Alegre, Curitiba, Goiânia e Brasília. “As entrevistas foram realizadas no domicílio dos entrevistados, entre março e abril de 2017, e objetivou saber basicamente quem são os consumidores, o que consomem e se conhecem o setor de forma que possamos conhecer o potencial futuro deste segmento”, explica Ming Liu. A margem de erro da pesquisa é de 3,3% para mais ou para menos.

Relacionadas