quinta, 20 de julho de 2017
João Pessoa
Compartilhar:

600 quilos de alimentos desperdiçados por dia

Lucilene Meireles / 21 de março de 2017
Foto: Assuero Lima
Por dia, cerca de 15% dos produtos comercializados na Empresa Paraibana de Abastecimento e Serviços Agrícolas (Empasa), em João Pessoa, deixam de ser comercializados por terem qualidade inferior à exigida para venda. A estimativa é dos próprios comerciantes do local e representam 600 quilos das 4 toneladas de alimentos que chegam à empresa todos os dias. Para o prejuízo não ser maior, parte dos produtos é doada para mais de 15 instituições filantrópicas. Já o que não tem condições de ser colocado para consumo humano, vai para compostagem e é transformada em adubo.

“Sempre tenho prejuízo financeiro, porque tem fruta, como mamão, que se estraga fácil, se perde demais. Ainda bem que, três vezes por semana, o pessoal de instituições de idosos e até do Sesc (programa Mesa Brasil) vem pegar o que dá para aproveitar. Muita gente que precisa também vem pegar aqui”, declarou o comerciante de frutas Ildo da Silva Rodrigues, que tem dois boxes na Empasa. Segundo ele, porém, outros donos de comércio no local preferem perder e não doam.

Emerson Eduardo de Santana, funcionário de outro box, explicou que todas verduras que perdem qualidade são guardadas para doação. “A gente coloca numa caixa o que não vai mais ser vendido e aguarda as instituições virem buscar. Não tem nada estragado. Por conta da doação, o desperdício é pouco”, afirmou. Além disso, segundo ele, todo dia pessoas que moram em comunidades carentes próximo ao local dão uma passada na Empasa. Elas recolhem até mesmo o que encontram pelo chão e reaproveitam em casa.

A Empasa, através da assessoria de imprensa, explicou que a iniciativa é dos próprios comerciantes. Conforme a empresa, não se trata de alimentos que não prestam mais, mas apenas aqueles que não poderiam ser comercializado, mesmo estando próprios para o consumo.

Compostagem - Os produtos que, de fato, não servem mais como alimento, vão para a compostagem. O projeto para adubo orgânico é feito na própria sede da Empasa, e o adubo é comercializado. Cada saquinho de 1 kg custa R$ 1. A partir de 50 kg, o valor cai para R$ 0,50. Conforme a Empasa, o adubo é muito mais rico que o esterco de boi, porque é uma mistura de verduras, frutas, legumes e folhagem.

Sopão - O sopão, outra forma de aproveitar os produtos que não eram adequados para comercialização, está parado. A assessoria de imprensa do órgão informou que está sendo construído um galpão para reestruturar o projeto que será bem maior que o anterior, envolvendo várias entidades, mas ainda não tem um prazo.

Papel da Empasa - A Empasa informou que sua missão é administrar a infraestrutura dos entrepostos de João Pessoa, Campina Grande e Patos, com limpeza e ordenamento do trânsito. Os 250 comerciantes da Capital locam os boxes, recebem dos produtores e comercializam. A empresa faz ainda um trabalho educativo e de conscientização em conjunto com as universidades Estadual (UEPB) e Federal da Paraíba (UFPB). Em algumas disciplinas, os estudantes fazem projetos e aplicam na Empasa.

Relacionadas