quinta, 14 de dezembro de 2017
Estatísticas
Compartilhar:

Faltam serviços de emergência e há poucos leitos de UTI neonatal na Paraíba

Bruna Vieira / 27 de agosto de 2015
Foto: Assuero Lima
Segundo a Munic do IBGE, a Paraíba é o 3º estado do Nordeste com menos serviços de emergência 24h. São 137 municípios que disponibilizam o atendimento. Porém, em 63 destes, os pacientes precisam ser transportados ou referenciados para outros municípios.

Até na Capital, o atendimento é difícil. A auxiliar de serviços gerais, Ivanilda dos Santos, sentiu fortes dores por conta de pedras nos rins. Procurou a emergência do Hospital Edson Ramalho e passou horas esperando atendimento. “Cheguei às 10h50 e saí às 16h40. Aplicaram soro e remédio. A dor passou e fui para casa. No outro dia, senti mais dores e voltei. Estou aqui esperando atendimento”, relatou.

A reportagem questionou  à Secretaria Municipal de Saúde sobre o problema, mas, em resposta, a assessoria se limitou a dizer que a cidade tem três hospitais municipais de urgência e emergência.

AL Hospl E Ramalho UTI Neo natalASL_5002 (17)

Poucos leitos de UTI neo-natal

Outro destaque do Estado é quanto aos leitos de UTI neonatal: apenas quatro municípios possuem o serviço público ou conveniado ao SUS. No Nordeste, só são encontrados índices menores em Sergipe e Piauí.

Na Capital não está faltando vagas, mas também não está sobrando, segundo a tenente Roberlândia Freire, diretora da regulação municipal.

No Hospital Edson Ramalho, a taxa de ocupação da UTI neonatal, que conta com 10 leitos fica entre 70 e 80% e a de ocupação hospitalar é 100%, segundo a gerente de enfermagem da UTI neonatal, capitã Vanusa Sabino.

“Quando estão todas preenchidas, os bebês menos graves são remanejados para a unidade de cuidados intermediários, com quatro vagas”, disse.

A gerente informou que os municípios estão tentando vincular o atendimento no próprio município, para não superlotar a Capital.

Mas, de modo geral, a pesquisa revelou que a Paraíba é o 3º estado do Nordeste que mais precisa referenciar pacientes para exames e internações em outros municípios, são 166 municípios nesta situação.

Assim vai a saúde



  • 188 municípios fazem suplementação de ferro nas crianças: 3º que mais faz no NE


  • 7  é o total de municípios que têm serviços de nefrologia. PB é o 4º pior do NE.


  • 44,8% dos gestores de saúde, menos da metade, têm ensino superior, 69 com graduação.


  • 143 gestores de saúde são mulheres


  • 99,8% dos municípios do Nordeste têm a Estratégia Saúde da Família


Relacionadas