segunda, 21 de agosto de 2017
Educação
Compartilhar:

UFPB corta gastos para poder sobreviver

Katiana Ramos / 09 de agosto de 2017
Foto: Reprodução
A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) suspendeu o benefício de diárias e passagens internacionais para professores e está remanejando servidores para manter o funcionamento da instituição. Essas foram as primeiras medidas tomadas pela Reitoria em virtude do corte de 30% no orçamento para custeio das despesas da universidade.

Segundo a reitora Margareth Diniz, a UFPB só está recebendo R$ 6 milhões dos R$ 10 milhões que deveriam ser repassados mensalmente para a instituição. Diante do aperto foram priorizados os serviços básicos, como o pagamento das contas de água, luz, telefone, terceirizados e benefícios da assistência estudantil, que incluem acesso ao restaurante universitário, 500 bolsas de iniciação científica e auxílio moradia e residência universitária. No entanto, a compra para material de expediente está limitada. A verba destinada ao custeio dos gastos da instituição passou de R$ 59 milhões, em 2016, para R$ 47 milhões este ano. “A universidade está vivendo do básico. Cerca de 30% das verbas de custeio e 60% nos investimentos da universidade foram contigenciados. Mesmo assim, estamos priorizando a assistência estudantil. A dívida com os fornecedores estão dentro do nosso orçamento anual e nós vamos pagar”, explicou a reitora.

O gasto maior da instituição, R$ 47 milhões anuais, é para o pagamento de trabalhadores terceirizados, como seguranças e funcionários de apoio administrativo e de manutenção dos serviços, como restaurante e residência universitária, além da limpeza e zeladoria da instituição. Mesmo diante da contenção de gastos, a reitora informou que o projeto de manter a segurança no campus I, na capital, com a contratação de empresa para instalação de monitoramento eletrônico, está garantido. Além disso, o pagamento das bolsas de iniciação científica custeadas pela instituição para alunos de graduação está mantido.

Relacionadas