quarta, 13 de dezembro de 2017
Educação
Compartilhar:

Número de matrículas cai em até 20% no ensino

Ainoã Geminiano / 23 de março de 2016
Foto: Rafael Passos
Nos últimos cinco anos, o número de matrículas no ensino fundamental caiu 10,2% no país, enquanto que as matrículas no ensino médio caíram 3% do mesmo período. A queda maior foi nas matrícula em Educação de Jovens e Adultos (EJA), que reduziram 20%. Já na educação infantil, o número de matrículas cresceu 17% no período. A falta de professores e laboratórios de ciências é o principal problema do fundamental e médio. Essas foram algumas constatações do Censo da Educação Básica 2015, apresentado ontem pelo Ministério da Educação (MEC). Para enfrentar os problemas, o MEC promete fazer uma busca ativa dos jovens que estão foram da escola e modificações na grade curricular, que reforcem a alfabetização e tornem a escola mais atrativa para os alunos.

A síntese estatística do Censo foi apresentada pelo ministro Aloizio Mercadante, que também anunciou medidas de reforço para a educação. "Preocupa a queda no número de matrícula, mas temos visto um aumento na procura por iniciativas como Pronatec, o que mostra que os jovens estão preocupados com a profissionalização. Percebemos também que a gestão tem interferido no rendimento dos alunos e decidimos oferecer capacitação para os gestores escolares, através de convênios com universidades", disse.

Certificação

O ministro Aloízio Mercadante anunciou, ainda para este ano, um programa de busca ativa de jovens com idade entre 15 e 17 anos, que estão fora da escola. Segundo ele, o MEC já tem um levantamento de 1,6 milhões de jovens nesse perfil, que serão alvo dessa busca.

Outra novidade que, segundo o ministro, tem o objetivo de incentivar os jovens a concluir os estudos é a criação de um exame específico para certificação do ensino médio. "O Exame Nacional do Ensino Médio já faz essa certificação e agora os alunos terão duas chances por ano. Uma no Enem e outra no exame específico, que não será tão pesado quando o Exame Nacional", explicou.

O ministro Mercadante anunciou o aumento de 4h para 5h do turno diurno de aula, nas escolas da rede pública. Segundo ele, é uma forma de manter o jovem e o adolescente mais tempo na escola, que terá a grade curricular alterada, com inserção de atividades culturais e esportivas.

Relacionadas