terça, 25 de setembro de 2018
Educação
Compartilhar:

Mais de 70% das crianças fora da creche na Paraíba

Lucilene Meireles / 18 de agosto de 2016
Foto: Assuero Lima
Até 2024, metade das crianças de até 3 anos de idade deverá ser atendida por creches, cumprindo a meta do Plano Nacional de Educação (PNE). Na Paraíba, porém, apenas 27,4% conseguiram garantir uma vaga, conforme o Anuário Brasileiro da Educação Básica 2016, elaborado pelo movimento Todos pela Educação (TPE). Se a família não tem condições de matricular seus filhos em escolas particulares, eles ficam sem acesso aos Centros de Referência em Educação Infantil (Creis), que oferecem uma base importante antes de iniciar o ensino fundamental. Em João Pessoa, a Secretaria de Educação (Sedec) diz que as vagas estão sendo ampliadas com a construção e reforma de creches. Uma especialista em educação infantil afirma, no entanto, que o número está aquém da necessidade e isso pode influenciar negativamente na base do aluno.

Para quem não consegue a vaga, o jeito é entrar na fila de espera e apelar para que novas unidades sejam construídas. Foi o que fez a dona de casa Ana Paula de Souza Leite, 20, que tem dois filhos, de 4 e 2 anos. Ela não conseguiu vaga nas unidades próximas à sua casa, no bairro do Roger. “Já tentei três vezes e dizem que não tem. Entrei na lista de espera, mas fui avisada que tem muita gente na minha frente”, lamentou.

A Doutora em Educação Infantil, Adelaide Alves Dias, professora dos programas de pós-graduação em Educação e Direitos Humanos, Cidadania e Políticas Públicas da UFPB, observou que enquanto o acesso à pré-escola deve ser universalizado este ano, o mesmo não acontece com os Creis.

“O grande problema é em relação a creches, que são voltadas para crianças de até 3 anos, e o déficit é no Brasil inteiro”, enfatizou. Para ela, a carência interfere na base de formação escolar da criança, embora não seja obrigatório matricular as crianças nessa faixa etária. “Essa não é uma idade obrigatória para estudar. A lei de diretrizes diz que é opção das famílias. Mas, toda vez que uma família quiser matricular um filho, o município, que tem a responsabilidade, deve prover essas vagas”, observou.

“Em João Pessoa, os Creis são insuficientes. Qualquer um que for, tem uma lista enorme de espera porque a demanda é muito grande nessa faixa etária. Desde a Constituição de 88, a creche passou a ser direito da criança, mas em João Pessoa funciona como se fosse direito das mães, dando prioridade às que trabalham. Seria um ambiente saudável, seguro e coletivo junto com outras crianças da mesma faixa etária”, emendou.

“Precisamos investir muito ainda em termos de atendimento a essa faixa etária. Mesmo com avanços nos últimos anos, inclusive com programas federais, como o Pró-infância e o Pró-infantil, que formou professores, o nosso déficit é muito grande. João Pessoa precisa priorizar a educação infantil”. Adelaide Alves Dias, Doutora em Educação Infantil.

Município está ampliando creches

A Secretaria de Educação (Sedec) admite que as vagas disponíveis nos Creis não são suficientes para todas as crianças que poderiam ser atendidas. No entanto, informou que há várias creches em reforma, além de duas sendo construídas, uma no bairro Valentina Figueiredo e outra nos Bancários, que entrarão em funcionamento em 2017.

“Ampliamos o processo de educação infantil. Reformamos escolas e creches, aumentando o número de vagas. Além dos Creis em construção para iniciar no próximo ano, continuam as reformas”, observou o diretor de Gestão Curricular da Capital, Gilberto Cruz.

Ele destacou que todo o investimento feito pelo Município visa não deixar fora da escola crianças nessa faixa etária. “Isso vai garantir que, ao entrar no Ensino Fundamental, elas tenham passado pela pré-alfabetização, socialização, ganhando uma base sólida”, acrescentou.

ASL_7886

João Pessoa

12 mil crianças até 5 anos atendidas

83 Creis em funcionamento

2 em construção

Anuário da Educação Brasileira 2016

Universalizar, até 2016, a Educação Infantil na Pré-Escola para as crianças de 4 e 5 anos e ampliar a oferta de Educação Infantil em creches, de forma a atender, no mínimo, 50% das crianças de até 3 anos até o final da vigência do PNE (2024). Esta é a meta do Plano Nacional de Educação (PNE). Na pré-escola, a meta alcançada pela Paraíba (93,4%) é superior à nacional (89,1%), mas no que se refere às creches, a situação é precária, alcançando apenas 27,4% no Estado e 29,6% no País.

De acordo com o Anuário Brasileiro da Educação Básica, o desafio a ser enfrentado ainda é grande, porque há muitas crianças fora da escola na Educação Infantil na Paraíba. Só entre as que têm 4 e 5 anos, eram 8.095 em 2014, ano que serve como base para o documento. “O número vem diminuindo, mas para melhorar o atendimento são necessários investimentos expressivos, inclusive para construção de equipamentos escolares novos”, diz o Anuário. “Embora a taxa de atendimento continue em expansão, ainda é grande a distância para o cumprimento das metas do PNE”, completa a publicação.

Os números da educação brasileira - Paraíba

Creches - Crianças até 3 anos que frequentam a escola - 2001 a 2014 (em %)

2001 - 13,8%

2004 - 17,4%

2014 - 27,4%

Pré-escola

2001 - 70,2%

2004 - 73,7%

2014 - 93,4%

Paraíba é 3ª do NE em número de crianças em creches

A Paraíba é o terceiro Estado do Nordeste com o maior percentual de crianças na creche, atrás apenas do RN (27,7%) e Ceará (33,5%). O Estado nordestino com menor percentual é Alagoas, com 23,2%, segundo o Anuário.

93,4% na pré-escola

O Estado com maior número de crianças na pré-escola é o Ceará (97,3%), seguido por Piauí (96,6%) e Maranhão (93,8%). Apesar do aumento de 73,7% para 93,4% entre 2004 e 2014, a Paraíba fica em quarto lugar no Nordeste.

Paraíba

5.602 é o número de escolas públicas e privadas na Paraíba

1.024.707 é o total de estudantes matriculados

40.441 estão em creches

101.019 pré-escolas

Fonte: Portal QEdu, com base em dados do Censo Escolar 2014.

 

 

Relacionadas