quinta, 24 de maio de 2018
Chuva
Compartilhar:

Medo e insegurança cercam famílias às margens da barreira do Castelo Branco

Lucilene Meireles / 03 de Maio de 2016
Foto: Assuero Lima
Medo, incerteza, insegurança. Os sentimentos são comuns às cerca de 18 famílias que vivem sobre a barreira do Castelo Branco, localizada no km 14 da BR-230, sentido João Pessoa-Cabedelo. Com as chuvas, elas temem pelo que pode acontecer, se nenhuma providência for tomada.

Neste final de semana, houve deslizamento. Pelo local, passam diariamente entre 50 mil e 60 mil veículos, conforme o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), que correm o risco de serem atingidos. A construção de um muro de contenção na barreira foi incluída, pelo órgão, no projeto de Adequação da Capacidade da rodovia.

O imóvel da dona de casa Marta Ribeiro de Sousa fica a cerca de 1 metro da ribanceira e, desde o sábado à noite, o sono deu lugar a uma vigília forçada.

Os moradores afirmaram que a preocupação é grande no local. Segundo eles, a situação é assustadora, porque todo o fluxo de água que vem do bairro Castelo Branco desce no sentido da barreira. O problema, de acordo com uma moradora que preferiu não se identificar, é que a galeria fluvial cedeu com a força da água e não foi refeita, o que agrava o problema de deslizamentos. “Vão esperar que a barreira desça de vez para tomar uma atitude?”, questionou.

"Fico ouvindo estalos e não dá para dormir. Há três anos, teve um deslizamento grande e eu tive que sair. Quando retornei, colocaram lonas e desde então, parou de descer, mas vivo com medo. Minha casa é a mais perigosa", Marta Ribeiro de Sousa. Moradora do Castelo Branco.

Galeria rompida

A Prefeitura está a par da situação dos moradores. Noé Estrela, coordenador da Defesa Civil de João Pessoa, disse que a água, de fato, não está conseguindo descer pela galeria, já que uma parte quebrou por conta da chuva. “Estamos vendo a possibilidade, junto com a Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), de completar o trecho que foi destruído”, declarou.  Apesar da situação dos moradores, ele assegurou que hoje não há risco de nenhuma casa descer junto com a barreira. No entanto, disse que com o passar do tempo, esse perigo pode ser real. “Hoje, ainda temos uma margem de segurança”.

DNIT fará muro de arrimo

O Dnit informou que vai construir um muro de contenção ao longo da barreira do Castelo Branco. A obra está dentro do projeto de Adequação da Capacidade da BR-230. A audiência pública aconteceu no dia 18 de abril e a ideia é que o Dnit lance para licitação até a segunda quinzena de maio.

“O início das obras depende do processo licitatório, de recursos. A tendência é que até o final do ano os trabalhos sejam iniciados. A obra total de adequação é muito complexa e deve levar de dois a três anos para conclusão”, declarou Rainer Branco, supervisor da Unidade Local do Dnit.

Relacionadas