quarta, 19 de setembro de 2018
Campina Grande
Compartilhar:

“De quem é esse jegue?”: burros e cavalos vão ganhar chip

Rammom Monte com assessoria / 10 de maio de 2016
Foto: Assuero Lima
Os burros e cavalos de Campina Grande ficarão mais tecnológicos a partir desta quinta-feira (12). Pelo menos é o que exige a prefeitura da cidade. Os donos de Veículos de Tração Animal que circulam no município terão que passar por um cadastramento no Centro de Zoonoses. Para isdo, serão implantados chips nos animais para monitoramento e controle. Os proprietários farão um cadastro social e as carroças receberão placas com numeração e faixas refletivas.

A medida faz parte do Programa Municipal de Registro Geral de Animais – RGA, e é necessário fazer o registro para continuar circulando na cidade, sob pena de multa. O prazo termina no dia 25 de maio.

O registro consiste no cadastramento dos animais existentes no município por meio de um controle eletrônico para acompanhamento do Centro de Zoonoses. A medida vai permitir que os profissionais da Secretaria Municipal de Saúde consigam informações sobre os animais de forma rápida como o nome do proprietário, por exemplo. Se os bichos forem abandonados ou sofrerem maus tratos, os donos serão identificados e responsabilizados.

Outro objetivo é impedir que os burros e cavalos sejam utilizados sem nenhum tipo de descanso. O chip vai permitir monitorar os locais de circulação e os dias.

Uma lei municipal prevê, por exemplo, que os bichos fiquem sem circular pelo menos um dia na semana. Com a colocação da placa, a Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos deseja também organizar o tráfego destes Veículos de Tração Animal na cidade, identificando os principais pontos de movimentação dos carroceiros.

A Secretaria de Agricultura participará da ação coletando as informações para aplicar posteriormente as vacinas antirrábica e Influenza Equina, além do vermífugo. A cada procedimento realizado nos bichos, as informações serão lançadas de forma virtual nos chips.

600 carroceiros na cidade

Ao todo, são cerca de 600 carroceiros na cidade. Inicialmente estão sendo chipados os animais usados em veículos, mas a Lei Municipal 5.179/12, que institui o RGA, prevê que quaisquer cães, gatos, cavalos, gado e burros devem ser catalogados. Posteriormente, estes animais também passarão pelo mesmo processo. O Centro de Zoonoses fica na rua Isolda Torquato Barbosa, em Bodocongó.

Em João Pessoa, carroceiros ganham prazo

Se em Campina Grande, a solução encontrada para o problema das carroças foi usar da tecnologia, em João Pessoa, uma lei proíbe o trânsito desse tipo de veículo, a condução de animais com carga e o trânsito montado nas vias asfaltadas e calçadas da Capital. Porém, após protesto, os carroceiros ganharam o prazo de um ano e seis meses para se adequarem.

Relacionadas