terça, 12 de dezembro de 2017
Cidades
Compartilhar:

Boqueirão atinge volume mais crítico da história e tem apenas 10,9% da capacidade

Francisco José / 17 de março de 2016
Foto: Divulgação
O Açude de Boqueirão amanheceu ontem com apenas 10,9% de sua capacidade total de acumulação de água. É o nível mais crítico em 59 anos de existência do reservatório, inaugurado em janeiro de 1957. Ontem, o gerente regional da Cagepa, Ronaldo Meneses, adiantou que, a situação do reservatório, levou a estatal de saneamento da Paraíba a elaborar um novo cronograma de racionamento de água para Campina Grande e mais 18 cidades do Compartimento da Borborema.

Apesar do nível crítico, a captação de água no Açude de Boqueirão ainda está sendo feita da forma tradicional. “A gente continua captando por gravidade, porque ainda não percebemos sinais do vórtice. Se ocorrer o vórtice, as bombas podem parar de funcionar”, salientou.

De acordo com técnicos da Cagepa, nos últimos 17 anos, o nível mais baixo atingido pelo Açude Presidente Epitácio Pessoa, foi em 1999, quando ficou com 15% de sua capacidade.

Na primeira década do Século XXI, o Açude registrou sangrias em 2004; 2005 e 2006. Nos anos subsequentes recebeu recargas expressivas. A última sangria ocorreu em 2011.

A Cagepa está concluindo os estudos para novo cronograma de racionamento que poderá dividir a cidade em suas regiões. Uma ficará com água durante três dias e outra ficará sem o líquido por igual número de dias.

Leia mais no Jornal Correio da Paraíba.

Relacionadas