terça, 25 de julho de 2017
Cidades
Compartilhar:

Falta segurança: acidentes de trabalho afetam cinco mil paraibanos por ano

Redação / 27 de julho de 2015
Foto: Divulgação
Com o objetivo de chamar a atenção para a importância da segurança no ambiente de trabalho, comemora-se hoje, o Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho. Segundo dados mais recentes divulgados pelo Ministério da Previdência, são registrados por ano no Brasil mais de 700 mil acidentes de trabalho, dos quais 5 mil estão na Paraíba. São considerados acidentes desde fraturas, luxações, ferimentos, lesões por esforço repetitivo (LER) e os distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (Dort) que causem a morte, a perda ou a redução da capacidade para o trabalho. Entre os setores responsáveis pelos maiores índices de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho está o da construção civil, com cerca de 9% das ocorrências no país.

Diante desse cenário, o compromisso com a prevenção precisa ser maior. Ações e programas aplicados dentro dos canteiros de obras têm como objetivo orientar os profissionais quanto à utilização correta dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individuais) e instalações adequadas dos EPCs (Equipamentos de Proteção Coletiva). “Fizemos todo o nosso planejamento em parceria com o Sesi, como forma de implementar na obra os quesitos de higiene, Segurança e Medicina do Trabalho, bem como as questões ambientais. Além disso, o Sesi nos dá toda assessoria, através de uma equipe especializada que faz visitas periódicas à obra para que, em conjunto com os nossos técnicos de segurança, possamos oferecer aos trabalhadores um ambiente seguro e controlado”, explica p gerente de planejamento do Solar Tambaú, Pedro Pina.

Já a especialista em segurança da Alliance Empreendimentos, Rosana Lima, destaca que, além de cumprir a normas e regulamentações, é necessário um modelo de gestão que coloque a segurança do trabalhador em primeiro lugar. “Uma das principais causas de acidentes é a falta de gestão voltada para a prevenção. Por isso, nós temos um política de dar todo o suporte necessário ao funcionário para que ele trabalhe com segurança”. A construtora também possui um comitê de segurança, para planejamento e avaliação constante das práticas de segurança; disponibiliza uma equipe de brigada de emergência; possui parceria com uma clínica, que checa o estado de saúde geral dos trabalhadores; e serviço de táxi para transportar o funcionário para hospitais ou médico particular.

Empresas investem em orientação

Além de investir cerca de R$ 40 milhões ao ano em treinamento em cursos de capacitação, o McDonald’s utiliza a McNews, uma revista bimensal dirigida aos funcionários dos restaurantes próprios e franqueados do Brasil, com tiragem de 12 mil exemplares. Trata-se de um canal privilegiado para falar de segurança e prevenção de Acidentes de Trabalho. Além de apresentar matérias especiais sobre o tema, a revista conta com uma página fixa da CIPA, que aborda temas como o uso de EPIs, boas práticas de equipes de cipeiros nos restaurantes e divulga eventos, como a Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho.

LER também é comum

Em segundo lugar na lista, os distúrbios osteomusculares tratados genericamente como LER e Dort, geralmente, não são muito graves. Mesmo assim, são responsáveis por afastar profissionais por um bom tempo do trabalho. Por isso, é importante que tanto os trabalhadores quanto os empregadores fiquem atentos aos cuidados necessários para evitá-los. O ortopedista do Hapvida Saúde, Ricardo Ramos Chrcanovic explica que “a prevenção no âmbito do trabalho se dá com a correta observação das normas regulamentadoras inerentes ao caso e demais critérios de segurança do trabalho, que visam preservar a saúde do trabalhador.”

Relacionadas